O Desportivo das Aves falhou a entrega do recurso ao impedimento de se inscrever nas competições profissionais, determinada pela Comissão de Auditoria da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP), e vai mesmo rumar ao Campeonato de Portugal.

António Freitas, presidente do clube, admitiu à Rádio Renascença que já esperava este desfecho.

"Infelizmente não me surpreende. Não é por acaso que os meus advogados, que estavam a trabalhar em conjunto com os advogados da SAD, pura e simplesmente me avisaram que não tinham condições para trabalhar, já não se sentiam confortáveis. Agora, o que eu posso dizer é que isto me deixa assustado. Porque, mesmo para jogar no Campeonato de Portugal, que é organizado pela Federação Portuguesa de Futebol, também é preciso ter os pressupostos. Será que eles querem que o Aves vá para o distrital? Por amor de Deus! É preciso que os sócios do clube saibam que eu estou abandonado por eles, não falam comigo", revelou o dirigente.

"Sabe o que é que eu queria? Era conseguir mandá-los embora a todos. E começar do zero. Mas não tenho tempo para isso, para despejá-los. Têm que ser eles a dar saída, nos distritais ou onde for. Mas estou a pensar que eles já nem aparecem mais aqui no clube. Não sei o que é que eles estão a preparar. Há qualquer coisa muito obscura. Muito, muito, muito, muito, muito! Por isso é que eu tenho dito: investigue-se! Quem não deve não teme...", rematou ainda António Freitas.

A administração do emblema do concelho de Santo Tirso tinha de apresentar a documentação junto dos serviços da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) até às 23:59 horas de segunda-feira, mas, ao contrário do Vitória de Setúbal, dispensou a contestação junto do Conselho de Justiça da Federação Portuguesa de Futebol (FPF).

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.