Augusto Baganha pronunciou-se sobre as claques do Benfica. O presidente do Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ) disse à Sport TV que os "grupos de adeptos organizados" do Benfica deviam "registar-se para ficar como os outros," mas que, até agora, "isso não tem sido um problema para o IPDJ nem para a polícia".

O dirigente falou também do estádio da Luz que esteve em risco de ser interditado, mas ressalvou que o Benfica "corrigiu a situação".

"Não se passou nada de anormal. O Benfica corrigiu a situação e cumpriu a lei", garantiu.

O Benfica esteve em risco de não fazer jogos no Estádio da Luz já que o regulamento interno do clube permitia a entrada de tarjas e bandeiras por parte de grupos organizados que o clube não reconhece oficialmente como claques.

Baganha comentou ainda a suspensão de seis meses aplicada a Fernando Madureira, líder da claque Super Dragões, do FC Porto. ´Macaco`, como é conhecido Fernando Madureira, está impedido de frequentar recintos desportivos por seis meses, devido a cânticos ofensivos contra o Benfica

"O IPDJ cumpre a lei e faz cumprir a lei, e foi o que aconteceu neste caso do Fernando Madureira. Não o fazemos por satisfação, mas porque é este o nosso posicionamento. Também temos aplicado sanções a outros clubes, mas neste caso foi a uma pessoa. Isto também já aconteceu com outros líderes de clubes organizados. Benfica, Sporting, Belenenses, entre outros, têm estado sob a alçada do IPDJ", declarou Baganha à Sport TV.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.