Em entrevista ao SAPO Desporto,  o antigo jogador do FC Porto destaca quem foram os jogadores-chave da equipa de Sérgio Conceição.

Especial Campeão 2019/2020: saiba tudo sobre o título do FC Porto

O campeão europeu em 87 considera que Sérgio Conceição tem condições para ficar, assim o queira, no FC Porto por vários anos. No entanto, alerta que terão que ser dadas condições ao técnico para que possa prosseguir, dado o 'fantasma' do fair-play financeiro que deve obrigar o emblema azul e branco a ter que prescindir de alguns dos seus jogadores essenciais.

SAPO Desporto: Quais foram os jogadores decisivos no FC Porto esta temporada?

Eduardo Luís: Penso que o FC Porto tem alguns elementos importantes que fazem a equipa mexer, fazem a equipa jogar como são os casos do Jesus Corona, do Alex Telles que é uma peça fundamental, o Pepe que na defesa é um esteio, e uma segurança e o Marchesin que fez com que a equipa estivesse mais segura a defender e que deu mais confiança aos jogadores."

S.D: Fair-Play financeiro pode continuar a condicionar o planeamento das épocas do FC Porto?

E. L: Pelo que se houve falar, dá-me a ideia que o FC Porto vai ter que vender no final da época. Agora não estou por dentro das contas. Isso acho que é ponto assente. Tem que fazer uma gestão muito bem feita para fugir a 'esse cutelo' que é fair-play financeiro. Vai ter que se vender e depois comprar bom e 'barato' mas não não sei se vai conseguir.

S.D: Se estivesse de destacar apenas um jogador desta equipa, quem destacaria?

E. L: Eu gosto muito do Jesus Corona, acho que é um elemento que tem tido bastante preponderância nas ações ofensivas do FC Porto e na concretização das oportunidades que cria. Acho por isso o Jesus Corona é um jogador com classe, com boa técnica. É um dos melhores jogadores que o FC Porto tem neste momento.

S.D: Sérgio Conceição é treinador para ficar no FC Porto muitos anos?

E. L: A vida de treinador é muito ingrata. Os treinadores dependem de resultados, seja em clubes grandes ou pequenos. Há sempre momentos difíceis em que as coisas não correm bem, e põe-se tudo em causa. A vida de treinador é o dia o dia, o jogo a jogo. O treinador é avaliado muito pelos resultados que obtém. Não estou lá dentro, por isso não se se treina bem ou treina mal. Mas dos últimos treinadores que o FC Porto, ele tem sido coerente ao nível de ideias e daí os dirigentes e os adeptos possam pensar que ele é a pessoa certa no lugar certo.

S.D: Era o treinador que o clube precisava depois daqueles títulos consecutivos do Benfica?

E. L: Sim, depois do FC Porto durante algum tempo ter falhado na escolha dos treinadores, mais concretamente falo de [Julen] Lopetegui. Tem aquela mística, aquele cultura Porto que é importante em determinadas alturas, mas que não pode cair no exagero. Acho que o Sérgio Conceição tem sido um elemento fulcral no regresso ao trilho das vitórias e do sucesso que tem e que possa continuar a ter.

S.D: Sérgio Conceição pode rumar a outras paragens no final da época?

E. L: A ambição e a carreira de um treinador não se resume a apenas um clube. Temos exemplo de outros treinadores que tiveram sucesso no FC Porto, mas também em outros clubes lá fora. O Sérgio para além de ser do FC Porto é um profissional e concerteza vai querer, se o FC Porto não lhe der condições para ganhar títulos, poderá rumar a outras paragens. Vai depender muito da forma como as coisas evoluírem no clube e da possível interesse que os clubes possam ter nele.

Especial Campeão 2019/2020: saiba tudo sobre o título do FC Porto

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.