Rogério Alves, presidente da Mesa da Assembleia Geral do Sporting, pronunciou-se sobre a Assembleia Geral deste sábado, que culminou nas expulsões de Bruno de Carvalho e Alexandre Godinho de sócios, desvalorizando ainda os momentos de tensão que se viveram no Pavilhão João Rocha.

"Hoje, através dos telemóveis, as pessoas reportam imagens, informações, sons. É impossível controlar. É certo que estamos a falar de assuntos fraturantes e que envolvem paixão, mas temos de reconhecer que foi uma Assembleia Geral que decorreu com toda a normalidade e tranquilidade e cumpriu o objetivo: dar palavra aos sócios. Esses pequenos picos de tensão não são a marca da forma como a AG decorreu", referiu Rogério Alves.

O dirigente 'leonino' falou ainda da polémica que envolveu os boletins de votos- em causa um número que aparecia no canto inferior esquerdo do boletim.

"Os números serviam apenas como uma forma de evitar a falsificação dos boletins de voto e funcionaram como uma espécie de boletim. Não permite de maneira alguma a identificação de quem votou e isto foi garantido pelos nossos serviços administrativos", salientou.

Recorde-se que Bruno de Carvalho viu hoje confirmada a sua expulsão de sócio do Sporting, depois da votação na assembleia geral (AG) extraordinária sobre o recurso do ex-presidente, este sábado.

69,30 por cento dos votantes mostraram-se a favor da expulsão do antigo presidente 'leonino', enquanto 29,79 votaram a favor do recurso interposto por Bruno de Carvalho.

Alexandre Godinho, antigo membro do Conselho Diretivo do Sporting, também foi expulso de sócio, uma vez que houve 68,2 por cento de votos a favor da expulsão, contra 30,54 a favor da permanência.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.