O treinador do Vitória de Setúbal, Sandro Mendes, prometeu hoje repetir a postura apresentada frente ao Sporting na visita ao Nacional, no domingo, em jogo da 20.ª jornada da I Liga de futebol.

Em conferência de imprensa, o técnico, que se estreou nas suas novas funções com um empate (1-1) diante do conjunto ‘leonino’, na quarta-feira, apontou como objetivo vencer no Funchal.

"Encarámos o Sporting da mesma forma que o vamos fazer com o Nacional. É uma equipa do nosso campeonato, os jogos valem três pontos e é isso que vamos tentar conquistar na Madeira. Respeitamos o Nacional, que tem uma excelente equipa, mas vamos encarar o jogo com a mesma seriedade, empenho e profissionalismo do jogo anterior", disse.

As duas equipas vão defrontar-se pela terceira vez esta época, depois do triunfo do Nacional em Setúbal, por 2-1, para o campeonato, e o empate 3-3, no Funchal, para a Taça da Liga. Sandro Mendes considera que o adversário está agora mais forte.

"Estão mais sólidos, confiantes e têm as ideias do seu treinador mais assimiladas. Se o Nacional está diferente é para melhor. Sabemos o que temos de fazer, trabalhámos bem estes dias, apesar de termos feito um pouco de recuperação. Sabemos o que o Nacional vale e o que nós valemos também", vincou.

O treinador dos sadinos admitiu utilizar dois dos quatro reforços que o clube inscreveu no último dia antes do fecho da janela de transferências de janeiro.

"O Sílvio [defesa] já cá estava e o Kigi [extremo] também. Ambos conhecem os colegas e a maneira de treinar e estão mais perto de poder ser utilizados. Os outros dois, Makaridze [guarda-redes] e Tiago Castro [médio], têm um treino, por isso, penso que ainda é cedo", referiu.

Questionado sobre o seu futuro, Sandro Mendes, que sucedeu a Lito Vidigal no cargo há uma semana, disse não estar preocupado com o facto de a decisão de a administração o manter à frente da equipa técnica estar dependente do jogo com o Nacional.

"Não penso nisso e, com muita sinceridade, não me tira o sono. Sou profissional e, independentemente de ser jogador, diretor desportivo, treinador de juniores ou coordenador da formação, desempenho as minhas funções o melhor que sei e posso. Procuro sempre ser o máximo profissional possível. O resto não me cabe a mim, há uma administração e eu estou cá para fazer o meu trabalho. Não posso dizer que não ao Vitória e, enquanto me sentir útil, vou cá estar. Quando isso não acontecer, veremos o que acontece", rematou.

Sandro Mendes não pode contar com o castigado Rúben Micael masvolta a ter como opções Cascardo, José Semedo e Éber Bessa (estiveram suspensos na jornada anterior) e lamentou a lesão de André Pedrosa, médio que contraiu uma rotura do ligamento cruzado anterior do joelho no jogo com o Sporting.

"Ninguém quer estar na situação dele, mas, infelizmente, acontece. É um menino que conheço e foi meu jogador nos sub-17. Tem muita qualidade e está só à espera de uma oportunidade de continuidade para poder demonstrá-lo. É um jogador que tem muita qualidade e que vai contar para mim ou para qualquer treinador que cá esteja", considerou.

Nacional, 14.º classificado com 19 pontos, e Vitória de Setúbal, 11.º com 20, defrontam-se no domingo, às 15:00, no Estádio da Madeira, no Funchal.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.