O SC Braga formalizou no passado dia 29 de abril uma queixa contra o Sporting no Tribunal Arbitral do Desporto (TAD) relativa à "cessão definitiva de direitos desportivos e partilha de direitos económicos" de Rodrigo Battaglia.

De acordo com o jornal Record, os minhotos defendem que têm direito a receber 20% de uma futura venda do médio. Já os 'leões' entendem que não têm de pagar qualquer direito futuro ao SC Braga, pois o contrato original que contemplava a referida cláusula foi extinto no verão de 2018, quando o médio rescindiu e assinou um novo vínculo.

A interpretação feita pela SAD 'leonina' é semelhante à do caso de Bruno Fernandes, com a Sampdoria a reclamar junto da FIFA o direito a 10% da transferência do português para o Manchester United. Tal como Battaglia, o médio rescindiu com o Sporting na sequência do ataque à Academia de Alcochete e assinou um novo vínculo meses depois.

Battaglia, recorde-se, foi contratado ao SC Braga em 2017, por 4,2 milhões de euros (mais 300 mil euros em comissões), tendo o clube minhoto ficado com 20% do passe do jogador. Depois do ataque à Academia, o argentino rescindiu com os 'leões' e assinou um novo vínculo até 2023.

No relatório e contas de 2018/19, enviado à CMVM, o Sporting informa que é detentor de 100% dos direitos económicos, e não dos 80% que reconhecia em exercícios anteriores.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.