O Sindicato dos Jogadores Profissionais de Futebol manifestou hoje solidariedade para com Pedro Trigueira, guarda-redes do Vitória de Setúbal, cujo nome foi envolvido na Operação Cashball.

“O Sindicato está solidário com Pedro Trigueira e exige respeito pelo jogador e pela profissão, disponibilizando-lhe todo o apoio de que necessite”, refere a nota do Sindicato, presidido por Joaquim Evangelista.

O nome do guardião dos sadinos surge na imprensa, a qual noticia que o mesmo terá alegadamente sido corrompido para ajudar o Sporting na Taça da Liga de futebol e no campeonato, algo que o jogador já negou.

“Se alguém utilizou o meu nome para ganhar dinheiro espero que com esse dinheiro faça então umas boas férias ou ande num bom carro enquanto eu, que me declaro inocente desta palhaçada de assunto, tenho que levar com esta mancha negra em cima do meu nome", escreveu Pedro Trigueira na sua página de Facebook.

A Polícia Judiciária deteve na quarta-feira quatro pessoas na sequência de denúncias de alegada corrupção em jogos de andebol e futebol, incluindo o diretor desportivo do futebol do Sporting, André Geraldes, que foi libertado sob caução e impedido de exercer funções desportivas.

Já na sexta-feira o Ministério Público elevou o número de arguidos na operação para sete, com a constituição de mais três.

"As notícias dos últimos dias perpetuam no domínio público a discussão de um caso que deveria permanecer em segredo de justiça, a fim de ser investigado e levado pelas autoridades competentes até às últimas consequências", acrescenta o Sindicato dos Jogadores.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.