Domingos Soares de Oliveira abordou a difícil relação do Benfica com FC Porto e Sporting, que considera ter vindo a "degradar-se". Em entrevista à revista Exame, o administrador da SAD 'encarnada' destaca ainda a criação do G15, um grupo "que exclui de alguma forma os três principais clubes portugueses".

"A situação tem vindo a degradar-se e não é apenas entre os três principais clubes. O que nós assistimos nos últimos anos foi à criação de um grupo chamado G15, que exclui de alguma forma os três principais clubes portugueses. Eu não conheço nenhuma situação assim a nível europeu. Mas temos este G15, não sei se este grupo ainda está vivo ou não. Depois temos um grupo, que eu chamo G2, que é uma maior proximidade entre FC Porto e Sporting, e ainda temos o G1, o Benfica, que, de alguma forma, não está nem num grupo nem noutro e que vai fazendo o seu próprio caminho", começou por dizer Domingos Soares de Oliveira.

O CEO do clube da Luz considera ainda que a eleição de Frederico Varandas como presidente do Sporting pode levar a uma "maior abertura" com vista ao diálogo entre os dois clubes, mas adianta que o mesmo não acontecerá com o FC Porto.

"As mudanças de liderança que ocorreram do lado do Sporting geram naturalmente um movimento de maior abertura para que possamos discutir. A atual presidência do Sporting tem tido um discurso mais construtivo quando estamos sentados à mesma mesa, por vezes menos construtivo quando é preciso falar aos adeptos", afirmou Domingos Soares de Oliveira.

"No geral, acho que não estamos minimamente preparados para nos voltarmos a sentar a uma mesa de trabalho com o FC Porto. Há reuniões aos níveis mais operacionais, e aí estamos todos metidos ao barulho; a um nível de maior responsabilidade e de sentido de Estado, acho que ainda não estamos preparados para isso", vincou.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.