Sousa Cintra está feliz por ver Jovane Cabral ser titular e a marcar golos no Sporting. O antigo presidente dos 'leões' e que comandou a equipa na comissão de transição entre a destituição de Bruno de Carvalho e a eleição de Bruno Varandas, foi o responsável pela permanência do extremo cabo-verdiano, ao renovar-lhe o contrato com uma cláusula de rescisão de 60 milhões de euros.

Em declarações ao jornal 'A Bola', Sousa Cintra recorda que o jogador "na altura não tinha dinheiro para comprar uma casa" mas que a decisão de renovar foi a mais acertada: "Estava consciente de que se tratava de um grande jogador, além de uma pessoa fantástica. Está a prova dada", atirou.

Com quatro golos marcados nas últimas quatro jornadas, Jovane Cabral é, a par de Douglas Tanque, o melhor marcador da I Liga desde a retoma da prova, em junho. Mas até nem podia estar em Alvalade. Sousa Cintra lembra que "houve uma altura em que até parecia que o queriam mandar embora..."

"É um craque, que quis ficar no Sporting. E o Sporting tem de ficar com os bons jogadores. Claro que os clubes têm necessidade de vender, mas também deve ficar com os bons jogadores. É um fora de série e vai demonstrar isso. É fora de série como jogador e humilde, tem grande futuro", elogiou o antigo presidente leonino.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.