Cinco golos, segundo lugar na Liga e resposta forte após empate no dérbi na Luz. O Sporting está vivo e recomenda-se e vai atacar o que resta da época erão de lutar muito por um lugar no onze. ´Leões` terminam primeira volta invictos num jogo em que Bas Dost não dó nem piedade dos defesas maritimistas. Uma mão cheia de golos para terminar em beleza a primeira volta da Liga.

 

O jogo: ´morno` no primeiro tempo, ´quentinho` no segundo

E porque a época é longa e o Sporting vinha de uma dérbi intenso a meio da semana, Jorge Jesus optou por fazer quatro alterações no onze, em relação ao jogo com os ´encarnados`. Destaque para a titularidade de Bryan Ruiz, oito meses depois, ele que apareceu no posto de Acuña. André Pinto, Ristovski e Podence entraram nos lugares de Mathieu, Piccini e Battaglia.

A estratégia era ter bola para e qualidade de passe na zona central para fazer face a boa organização defensiva maritimista. Daniel Ramos montou o Marítimo num 4-5-1, povoando e muito o corredor central. O técnico fez algumas alterações em relação a equipa que perdeu em casa com o Chaves: Filipe Oliveira e Fabrício Baiano entraram nos lugares de Éber Bessa e Ricardo Valente, jogadores que viriam a entrar no segundo tempo.

Este era um jogo que exigia paciência ao Sporting. Os madeirenses, nun bloco médio-baixo, linhas muito juntas, raramente se desposicionavam, ocupando sempre bem os espaços, o que dificultava a tarefa do Sporting. Pelo meio era quase impossível dada a quantidade de jogadores nessa zona, pelo que teriam de ser os extremos e laterais a desbloquear o encontro. E foi por aí que surgiu o primeiro golo, num passe de Coates, a pedir velocidade a Gelson Martins. A defesa madeirense demorou a recuperar terreno, o extremo meteu logo na pequena área onde já estava Bas Dost para encostar.

Os quase 42 mil espetadores que marcaram presença em Alvalade ganhavam assim razões para sair da cadeira e espantar o frio que se fazia sentir.

Marcado o primeiro, era urgente o Sporting ´matar` o jogo, mesmo perante uma equipa que pouco tinha feito a nível ofensivo, exceção feita a um cabeceamento de Diney após livre lateral que quase dava golo. E quis o destino que fosse Bryan Ruiz a fazer o tento da tranquilidade, marcando em Alvalade um ano e meio depois. Curiosamente, o seu último golo tinha sido frente ao Marítimo.

Com a defesa madeirense destroçada (já tinham falhado e muito no segundo golo, perdendo a bola em zona proibitiva), entrou em cena o ´furacão` Bas Dost: o holandês marcou mais dois golos em lances em que só teve de encostar, chegou ao hat-trick e ficou mais perto de Jonas na tabela dos marcadores. Termina a primeira volta com 16 golos. Neste século XXI, só ´Super` Mário Jardel fez melhor (19 golos em 2001/2002). Acuña entrou e fechou as contas da goleada.

Os ´leoes` terminam a primeira sem derrotas, algo que não acontecia há 23 anos. Carlos Queiroz tinha conseguido igual registo em 1994/1995.

Momento-chave: Bryan Ruiz dá o golpe final no início do 2.º tempo

O Marítimo tinha voltado do intervalo com outras ideias, mas uma perda de bola em zona proibitiva deixou Bryan Ruiz na cara do golo após passe de Bruno Fernandes. O costa-riquenho não desperdiçou e fez o 2-0 aos 51 minutos.

Os melhores: Dost, pois claro. E também Charles e Bruno Fernandes

Quem faz três golos num jogo com cinco tentos merece destaque. Bas Dost apareceu sempre no sítio certo, a dar melhor sequência ao trabalho dos colegas.

Bruno Fernandes tentou o golo de todas as formas, mas Charles negou-lhe sempre as intenções. Jogando mais recuado, ao lado de William, o médio soltou-se mais no segundo tempo. Marcou a diferença na posse de bola, mas também nos passes longos.

Os piores: estratégia de Daniel Ramos

Nos anteriores 16 jogos da I Liga, o Marítimo só tinha sofrido 15 golos. Na noite deste domingo, encaixou cinco. A defesa, um dos pontos fortes da equipa, claudicou e deixou Daniel Ramos a fazer contas. A estratégia de contenção e contra-ataque do técnico não surtiu efeito.

Reações: Jesus fala da força do Sporting e do... FC Porto. Daniel Ramos lamenta falta de opções

Jorge Jesus: "Este ano é tudo Sporting-FC Porto"

Jorge Jesus: "A qualidade do Sporting é que tornou o jogo fácil"

Bryan Ruiz: "Estou muito feliz por ter voltado a titularidade e aos golos"

Daniel Ramos: "Para além de Sporting, FC Porto, Benfica e SC Braga, há um campeonato a parte"

Diney: "Cometemos muitos erros"

VEJA O RESUMO DO JOGO