O Sporting regressou às vitórias na Liga, ao vencer esta noite o Feirense por 2-0, em jogo da 22.ª jornada da I Liga. William Carvalho e Montero fizeram os golos dos 'leões', que assim igualam os 53 pontos do Benfica, 2.º colocado. A resistência do Feirense durou 78 minutos, num jogo em que Caio Seco defendeu quase tudo.

 

Em Alvalade, a equipa de Jorge Jesus precisava reconciliar-se com os adeptos para passarem um São Valentim de pazes feitas, depois de duas derrotas seguidas, uma para a Liga com o Estoril e outro para a Taça com o FC Porto. O técnico dos 'leões' vai lamentando a ausência de Bas Dost e com alguma razão, dada a falta de golos da equipa. Montero entrou no onze para fazer dupla com Doumbia, voltando também William Carvalho à equipa. A ala esquerda foi nova, com Bruno César e Bryan Ruiz, nos lugares dos castigados Fábio Coentrão e Acuña. Ristovski saltou do onze para a bancada.

Primeira parte com VARiadíssimas interrupções e Caio a 'secar` o 'Leão'

Foi um primeiro tempo intenso, com muitos casos de arbitragem, em que valeu ao árbitro Luís Ferreira haver vídeo-árbitro, caso contrário ficaria ligado ao resultado do encontro, mas pela negativa. A entrada de 'leão' dos homens de Jorge Jesus atirou o Feirense para o seu meio-campo defensivo. O Sporting atacava pelo meio, pelas alas, criava várias situações de golo, mas a bola teimava em não entrar. E quando entrava, não contava.

O árbitro Luís Ferreira não teve uma noite fácil. Começou por validar um golo a Doumbia aos 19 minutos, mas, após consultar o VAR, anulou a jogada por uma falta no início da jogada. O juiz do encontro voltou a equivocar-se aos 44 minutos quando marcou penálti para o Sporting por suposta mão de Flávio na área dos homens de Santa Maria da Feira. Mais uma vez o vídeo-árbitro entrou em ação, anulando a decisão do árbitro.

Ao intervalo registava-se um nulo, mas a culpa nem era tanto dos jogadores do Sporting, mas sim de Caio Seco. O guarda-redes do Feirense fez defesas espetaculares, numa noite que começava a ser quase só dele: aos nove, negou o golo a Bruno César e Mathieu; aos 14, no frente-a-frente com Doumbia, levou a melhor; no mesmo minuto travou o remate de Montero e aos 31 voltou a ganhar no duelo com o avançado colombiano. Alvalade desesperava, a ansiedade crescia e Caio Seco ia sendo o homem do jogo.

Apesar de estar 'apertado' pelo Sporting na maior parte do tempo, a equipa de Nuno Manta Santos ia conseguindo, de vez em quando, 'engatar' contra-ataques venenosos. Aos 31 minutos Patrício teve de fazer uma enorme defesa para negar o golo a João Silva. E aos 45 viu Luís Machado antecipar-se a Piccini e cabecear a bola, com esta a passar rente ao poste.7

Caio só não 'secou' William e Montero

No segundo tempo, Jesus, não satisfeito com a produção da ala esquerda leonina, fez entrar Lumor e o jovem Rafael Leão para os lugares de Bruno César e Bryan Ruiz. A ala esquerda voltava a sofrer remodelações, agora com dois jogadores que faziam a estreia na equipa principal do Sporting para a Liga.

A toada de jogo ia-se mantendo, com o Sporting a 'carregar' sobre a defensiva do Feirense e a equipa nortenha a defender como podia. Na baliza, parecia não haver formas de bater Caio Seco. O guardião brasileiro ia travando as intenções leoninas, Alvalade ia desesperando. Aos 70 minutos, Gelson introduziu a bola na baliza, mas mais uma vez o golo viria a ser anulado por fora-de-jogo.

O minuto 72 podia ser de golo numa e noutra baliza. Primeiro Luís Aurélio a oferecer a bola a Doumbia mas o marfinense demorou muito tempo e rematou torto. Do outro lado Rui Patrício mostrou porque é um dos melhores na sua posição: Edson Farias fletiu da esquerda para o meio e rematou forte, com o guardião do Sporting a desviar com a ponta dos dedos para o poste.

Mas aos 78 minutos a resistência dos homens de Nuno Manta Santos caiu por terra quando William Carvalho, após confusão na área, colocou a bola no fundo das redes. Caio Seco era finalmente batido. Jesus aproveitou para reequilibrar a equipa, com a entrada de Battaglia para o meio-campo, retirando o avançado Doumbia.

Nuno Manta Santos tentou tudo nos minutos finais, lançando Valencia, Karamanos e Zé Manuel, ficando o Feirense com mais opções ofensivas. A equipa adiantou-se no terreno, tentando chegar ao empate, mas viria a ser o Sporting a desfazer as dúvidas quanto ao resultado. Montero fez o 2-0 aos 90 e acabou com as esperanças dos homens de Santa Maria da Feira.

É o regresso do Sporting às vitórias, depois das derrotas com o Estoril para a Liga e FC Porto para a Taça de Portugal. Os 'leões' têm os mesmos 53 pontos do 2.º colocado, Benfica.

Veja o resumo do jogo