Cronologia dos acontecimentos que levaram à detenção de Bruno de Carvalho e de Mustafá, líder da claque Juventude Leonina, por suspeita de estarem envolvidos no ataque à Academia de Alcochete.

05 de abril:

- O Sporting perde por 2-0 com o Atlético de Madrid, na primeira mão dos quartos de final da Liga Europa, e o presidente do clube, Bruno de Carvalho, que não se deslocou a Madrid, utiliza o Facebook para criticar “erros grosseiros” de “futebolistas internacionais e experientes”.

06 de abril:

- A maioria dos jogadores divulga nas redes sociais um comunicado conjunto no qual mostra o seu desagrado pelas críticas do presidente e lamenta a falta de apoio da direção.

- Através do Facebook, Bruno de Carvalho anuncia a suspensão dos jogadores que subscreveram o comunicado, manifestando-se “farto de atitudes de miúdos mimados, que não respeitam nada, nem ninguém”.

08 de abril:

- O Sporting vence o Paços de Ferreira por 2-0, na 29.ª jornada da I Liga, com milhares de adeptos a aplaudirem a equipa e a assobiarem Bruno de Carvalho, que vai à sala de imprensa acusá-los de “serem ingratos e de terem memória curta”.

- O presidente da Mesa da Assembleia Geral do Sporting (MAG), Jaime Marta Soares, considera “esgotadas as hipóteses de manutenção” de Bruno de Carvalho, e este assegura que a direção vai pedir a marcação de uma Assembleia Geral (AG), acrescentando que Marta Soares é um “foco de problemas”.

- O presidente anuncia o seu afastamento da rede social Facebook, numa publicação em que assinala a traição do presidente da MAG.

11 de abril:

- O Sporting retira os processos disciplinares que tinham sido levantados aos futebolistas do plantel.

13 de maio:

- O Sporting é derrotado por 2-1 no estádio do Marítimo, na última jornada da I liga, e perde o segundo lugar para o Benfica e a possibilidade de disputar a Liga dos Campeões. Os jogadores são insultados à saída do Estádio dos Barreiros, no aeroporto do Funchal, e já à chegada da comitiva ao estádio José Alvalade.

14 de maio:

- A direção da SAD convoca todo o plantel e as equipas técnica e médica, em dia de folga, para reuniões em Alvalade.

15 de maio:

- Durante o primeiro treino da equipa de futebol após a derrota na Madeira, cerca de 40 adeptos ‘leoninos’ encapuzados invadem a Academia de Alcochete e agridem vários jogadores, bem como o treinador Jorge Jesus e outros membros da equipa técnica.

- Bruno de Carvalho considera que o que se passou em Alcochete foi “um crimepúblico”, garante que o clube vai averiguar “internamente” o que aconteceu, para que tal episódio não volte a acontecer, e aponta o dedo ao Governo.

- Os incidentes na Academia são repudiados pelos Presidentes da República e da Assembleia da República, pelo Primeiro-Ministro, pelos partidos com assento parlamentar, e por vários organismos ligados ao futebol.

16 de maio:

– A GNR efetua 23 detenções e apreende cinco viaturas na sequência da invasão à Academia do clube.

- Os futebolistas do Sporting reúnem-se com o sindicato dos jogadores e anunciam que vão disputar a final da Taça de Portugal, independentemente das medidas legais a tomar por cada um após as agressões de que foram alvo na Academia.

17 de maio:

- A MAG anuncia a demissão em bloco, o mesmo acontecendo com o presidente e vários membros do Conselho Fiscal e Disciplinar (CFD), que deixa de ter quórum.

- Jaime Marta Soares e Álvaro Sobrinho, presidente da Holdimo, grupo empresarial detentor de 30% das ações da SAD, apelam à demissão de Bruno de Carvalho.

17 de maio:

Demitem-se quatro membros do CD: os efetivos António Rebelo e Luís Loureiro, e os suplentes Jorge Sanches e Rita Matos.

18 de maio:

Bruno Mascarenhas, responsável pelo pelouro da expansão e núcleos do clube, demite-se do cargo de vogal do CD. O órgão continua a ter quórum.

19 de maio:

- Bruno de Carvalho afirma que o “ato bárbaro” que aconteceu na Academia de Alcochete foi “involuntariamente” criado pelos próprios jogadores, quando dias antes fizeram “frente” a alguns membros das claques, e anuncia que não vai ao Jamor assistir à final da Taça de Portugal, por considerar que não estão reunidas as condições necessárias.

- O presidente acusa José Maria Ricciardi e Álvaro Sobrinho de serem "estrategas" do "terrorismo" que se tem vivido nos ‘leões', e afirma que a Holdimo já "deveria ter vendido a sua participação" na SAD.

- O líder da Juventude Leonina, Nuno Mendes ‘Mustafá’, garante que não houve qualquer pedido, sugestão ou sequer aval de Bruno de Carvalho à claque para qualquer ação contra os futebolistas do Sporting.

20 de maio:

- O presidente demissionário da MAG esclarece que marcará eleições de imediato para todos os órgãos sociais, e não haverá Comissão de Gestão, se o presidente Bruno de Carvalho se demitir.

- O Sporting é derrotado por 2-1 pelo Desportivo das Aves na final da Taça de Portugal.

- Bruno de Carvalho volta às publicações na rede social Facebook e pede aos adeptos que apoiem a equipa, afirmando que “a frustração nunca pode separar uma família”.

21 de maio:

- O juiz de instrução criminal do Tribunal do Barreiro decreta prisão preventiva para os 23 detidos na sequência das agressões na Academia.

- O Sporting anuncia ter pedido uma reunião com o Primeiro-Ministro e faz saber que reforçará as medidas de segurança na Academia, em Alcochete, e no Estádio José Alvalade, em Lisboa.

22 de maio:

- O Sporting nomeia Augusto Inácio como diretor-geral do futebol do clube.

24 de maio:

- O diretor clínico, Frederico Varandas, anuncia a demissão e mostra-se disponível para se apresentar como futura solução diretiva.

- O presidente demissionário da MAG anuncia que ficou agendada uma AG de destituição dos órgãos sociais do clube para 23 de junho, e Bruno de Carvalho considera que a reunião é uma "bomba atómica".

28 de maio:

- A MAG anuncia que vai designar uma Comissão de Fiscalização (CF) para exercer transitoriamente as funções que cabem ao Conselho Fiscal e Disciplinar (CFD), que perdeu quórum.

29 de maio:

– O CD entende que não se verificam nenhuma das premissas invocadas pela MAG para ser nomeada uma comissão de gestão do CFD, enquanto a MAG insiste que o mandato do CFD cessou, com a renúncia da maioria dos seus membros, e garante que vai nomear uma CF para evitar vazio neste órgão.

31 de maio:

- O presidente demissionário da MAG anuncia a composição da CF: Henrique Monteiro, João Duque, António Paulo Santos, Luís Pinto de Sousa e Rita Garcia Pereira.

01 de junho:

- O CD anuncia que decidiu substituir a MAG e respetivo presidente através da criação de uma Comissão Transitória (CT) da MAG, para a qual nomeia Elsa Tiago Judas, Bernardo Trindade Barros e Yassin Nadir Nobre. O presidente da MAG considera que esta Comissão “não tem cobertura estatutária” e por isso “é ilegal”.

- A Holdimo, segunda maior acionista da SAD, faz saber que entregou em tribunal uma ação especial para destituir a administração liderada por Bruno de Carvalho.

- O presidente da MAG esclarece que não apresentou, formalmente, a demissão do cargo.

- Os futebolistas Rui Patrício e Daniel Podence rescindem unilateralmente, alegando justa causa. Bruno de Carvalho afirma que o guarda-redes está a ser manipulado pelo empresário Jorge Mendes.

- A presidente da CT da MAG, Elsa Tiago Judas, convoca uma AG para 17 de junho, para aprovação do orçamento, e outra para 21 de julho, para eleição da MAG e do CFD.

04 de junho:

- Cerca de 500 adeptos manifestam-se em frente à SAD pedindo a demissão de Bruno de Carvalho e a realização de eleições antecipadas para os órgãos sociais.

- É entregue à CF nomeada pela MAG uma participação disciplinar contra o CD, subscrita por 21 associados, que denuncia a “prática de gravíssimos ilícitos disciplinares que colocam em causa a própria subsistência da instituição”.

05 de junho:

- O treinador Jorge Jesus, que tinha mais um ano de vínculo com o Sporting, assina um contrato de um ano, mais outro de opção, com os campeões sauditas do Al Hilal, na vépera de o Sporting confirmar a rescisão por mútuo acordo.

06 de junho:

- Guilherme Pinheiro renuncia ao cargo do administrador da SAD.

- Quatro pessoas, entre as quais o ex-líder de claque Juventude Leonina Fernando Mendes, são detidas por suspeitas de comparticipação na invasão e agressões aos jogadores e equipa técnica.

08 de junho:

- Os quatro detidos por suspeitas de participação nas agressões na Academia ficam em prisão preventiva.

- É conhecida a decisão de uma primeira providência cautelar apresentada por Jaime Marta Soares que lhe reconhece legitimidade para presidir à MAG sem, no entanto, garantir a realização da reunião magna agendada para 23 de junho.

10 de junho:

- O CD anuncia que vai propor a alteração de três artigos dos estatutos do clube, dois sobre a renúncia de titulares de mandatos, e outro sobre a nomeação de dirigentes, na AG de 17 de junho.

11 de junho:

- Os futebolistas Gelson Martins, William Carvalho, Bas Dost e Bruno Fernandes rescindem os contratos, alegando justa causa.

- Bruno de Carvalho garante que o CD apresenta “imediatamente” a demissão se os seis futebolistas que rescindiram contrato invocando justa causa recuarem para permanecer no clube, mesmo que esta direção vença novas eleições.

- O presidente demissionário da MAG anuncia que vai avançar com duas novas providências cautelares para garantir “tudo o que é importante” para realizar a AG de 23 de junho.

13 de junho:

- A CF designada pela MAG anuncia a suspensão preventiva dos membros do CD, que têm 10 dias úteis para o contraditório e estão impedidos de entrarem nas instalações do clube. A suspensão não tem efeito sobre a presidência da SAD. Na base da decisão está a participação disciplinar subscrita por 21 associados e entregue em 04 de junho.

- A CT da MAG, nomeada por Bruno de Carvalho, reage à suspensão preventiva garantindo que o presidente e todo o CD vão continuar em funções.

14 de junho:

- Os futebolistas Rúben Ribeiro, Battaglia e Rafael Leão apresentam pedidos de rescisão de contrato, aumentando para nove o número de jogadores que saem do clube.

- O Tribunal Judicial da Comarca de Lisboa considera ilegal a CT da MAG, nomeada pela direção, bem como as reuniões magnas marcadas para 17 de junho e 21 de julho.

- Bruno de Carvalho reafirma que não se demite, considera que a AG de 23 de junho está “ferida de legalidade”, mas assegura que vai garantir os meios para a sua realização.

15 de junho:

- O Tribunal Judicial da Comarca de Lisboa obriga a direção a entregar os cadernos eleitorais ao presidente da MAG, para a realização da reunião magna de 23 de junho, e determina que o CD pague as despesas inerentes à sua realização.

16 de junho:

- O presidente demissionário da MAG anuncia a composição da Comissão de Gestão (CG) do clube, que integra 11 elementos e é presidida por Artur Torres Pereira, que até 2017 foi vice-presidente de Bruno de Carvalho.

A comissão, que deverá substituir o CD suspenso, integra ainda Sousa Cintra, Luís Marques, António Sá Costa, Silvino Sequeira, Jorge Lopes Gurita, Alexandre Cavalleri, Rui Nunes Moço, Pedro Roque Reis, António José Rebelo e José Diogo Leitão.

18 de junho:

- O Sporting contrata, por três épocas, o treinador de futebol sérvio Sinisa Mihajlovic.

19 de junho:

- A PWC, auditora da Sporting SAD, considera existir uma ameaça concreta à continuidade das operações da sociedade na sequência das rescisões de contratos de jogadores e uma impossibilidade de realização do valor de venda dos ativos no curto prazo.

- Bruno de Carvalho convida Jaime Marta Soares, um membro da CF, e o presidente da CG para um debate na televisão do clube, em 22 de junho, antes da AG de destituição de sábado.

20 de junho:

- A CG anuncia que os seus elementos foram impedidos de entrar em Alvalade para iniciarem funções no clube, e garante que vai apresentar queixa em tribunal e ao presidente da MAG.

- O CD anuncia a interposição de providências cautelares “contra a legitimidade” das comissões de Fiscalização e de Gestão do clube, e dos membros demissionários da MAG.

23 de junho:

- A destituição de Bruno de Carvalho é aprovada em Assembleia Geral extraordinária por 71,36% dos votos, numa das mais concorridas reuniões magnas do clube, em que estiveram presentes 14.735 sócios.

24 de junho:

- Frederico Varandas, ex-diretor clínico do Sporting, anuncia que vai candidatar-se à presidência do clube.

- Sousa Cintra é o substituto de Bruno de Carvalho na SAD do Sporting, na sequência da suspensão e posterior destituição de Bruno de Carvalho da presidência do Sporting. Bruno de Carvalho ameaça impugnar AG e diz que quer ir a eleições.

27 de junho:

- Sousa Cintra anuncia a saída do treinador Sinisa Mihajlovic, que não chega a orientar a equipa.

- O empresário Fernando Tavares Pereira revela que vai candidatar-se à presidência do Sporting.

01 de julho:

- O Sporting oficializa a contratação de José Peseiro como treinador, tendo sido apresentado em Alvalade por Sousa Cintra que apontou o objetivo do técnico: ser campeão.

7 de julho:

- Bruno de Carvalho apresenta candidatura à presidência do Sporting, juntando-se a Frederico Varandas, Madeira Rodrigues e Dias Ferreira, quer já tinham anunciado intenção de ir a eleições.

9 de julho:

- Nove pessoas são detidas por suspeitas de participação no ataque às Academia de Alcochete e também ficam em prisão preventiva, aumentado para 36 o número de arguidos neste processo.

10 de julho:

Futebolista Bruno Fernandes recua depois de rescindir e permanece no Sporting com novo contrato, válido até 2023.

12 de julho:

Carlos Vieira, vice-presidente do Sporting na gestão de Bruno de Carvalho, assume a candidatura à presidência.

13 de julho:

- William Carvalho, um dos nove jogadores que rescindiram com o Sporting após os incidentes na Academia, assina contrato com o Betis de Sevilha.

18 de julho:

- João Benedito, antigo guarda-redes de futsal do Sporting, também apresenta candidatura.

21 de julho:

- O avançado holandês Bas Dost volta atrás na decisão de rescindir a assina novo contrato por três anos.

25 de julho:

- Gelson Martins, um dos nove jogadores que rescindiram com o Sporting após os incidentes na Academia, assina contrato por seis anos com o Atlético de Madrid.

28 de julho:

- O argentino Rodrigo Battaglia, que tinha rescindido, decide permanecer no Sporting e assina novo contrato por cinco anos

29 de julho:

- O antigo banqueiro José Maria Ricciardi anuncia candidatura à presidência do clube.

2 de agosto

- Bruno de Carvalho e Carlos Vieira foram suspensos durante um ano como sócios do Sporting após a decisão da Comissão de Fiscalização do Sporting decorrente do processo disciplinar em curso desde 13 de junho. O ex-presidente e ex-vice-presidente ficavam assim impedidos de apresentar as respetivas candidaturas à presidência do Sporting.

3 de agosto:

- O advogado Rui Jorge Rego candidata-se às eleições do Sporting.

5 de agosto

- Bruno de Carvalho foi substituído por Erik Kurgy como cabeça de lista para as eleições do Sporting, que continuará “a trabalhar” com o ex-presidente do clube.

8 de agosto:

- O avançado Rafael Leão, que rescindiu contrato na sequência do ataque à Academia, assina com o Lille, por cinco temporadas.

9 de agosto

- Foram apresentadas oito listas para as eleições da presidência do Sporting: Francisco Varandas foi o primeiro a avançar, depois seguiram-se Madeira Rodrigues e Benedito, ainda antes de Bruno de Carvalho e José Maria Ricciardi. Dias Ferreira, Tavares Pereira e Rui Jorge Rego também formalizarem as respetivas listas. Carlos Vieira, entretanto, desistiu.

10 de agosto

- Candidatura de Bruno de Carvalho rejeitada: O órgão liderado por Jaime Marta Soares terá rejeitado a lista do antigo presidente dos 'leões' por considerar que a mesma não cumpre os princípios definidos pelos estatutos do clube.

17 de agosto

- Bruno de Carvalho deslocou-se ao Estádio de Alvalade para entregar uma providência cautelar que terá anulado a destituição do antigo presidente do Sporting. Tribunal concordou que a sua destituição foi ilegal e decidiu por isso mesmo anular a decisão. O presidente destituído do Sporting está em Alvalade com o objetivo de voltar a ocupar o lugar de presidente que deixou a 23 de junho.

20 de agosto:

- Comissão de Gestão acusa Bruno de Carvalho de "tentativa de fraude", ao ter alegadamente pressionado bancos para impedir a movimentação de contas pelos atuais gestores.

25 de agosto:

- O treinador Sinisa Mihajlovic avançou com uma queixa contra o Sporting no Tribunal Arbitral do Desporto (TAD) de Lausana, Suíça, por despedimento sem justa causa, e exige uma indemnização de 11 milhões de euros.

31 de agosto

Bruno de Carvalho tinha pedido à Procuradoria Geral da República (PGR) uma audiência para esclarecer as notícias que o relacionavam com as agressões ocorridas em Alcochete, assim como apresentar queixas e factos do seu conhecimento sobre o sucedido. Porém, a audiência proposta pelo antigo líder do Sporting foi rejeitada.

"Após análise, verificou-se que os factos mencionados pelo requerente para fundamentar o pedido de audiência respeitam a matéria que, como é público, é objeto de inquérito que se encontra em investigação no Ministério Público do DIAP de Lisboa", avançou fonte da PGR, que terá remetido o antigo líder leonino para o inquérito.

4 de setembro:

- Pedro Madeira Rodrigues abdicou da corrida à presidência do Sporting para ocupar um lugar de vice-presidente na lista encabeçada por José Maria Ricciardi.

8 de setembro

Os sócios do Sporting elegeram o médico Frederico Varandas como o 43.º presidente da história do clube, numa corrida para a qual foi o primeiro a avançar, na sequência de uma das mais graves crises dos 'leões'.

Ao dar o primeiro passo para as eleições, ganhou um peso entre os sócios que se revelou decisivo para a vitória, com 42,32%, no ato eleitoral mais participado de sempre, no qual votaram 22.510 sócios, superando João Benedito (36,84%), José Maria Ricciardi (14,55%), Dias Ferreira (2,35%), Fernando Tavares Pereira (0,9%) e Rui Jorge Rego (0,51%).

9 de outubro

A GNR deteve mais duas pessoas no âmbito do processo sobre o ataque a jogadores do Sporting e elementos da equipa técnica que ocorreu na Academia do clube, em Alcochete.

No total, estão em prisão preventiva 37 arguidos, dos quais 23 foram detidos no dia dos acontecimentos, 15 de maio, e os restantes em junho e julho. Entre eles, está o antigo líder da claque Juventude Leonina Fernando Mendes.

No mesmo dia, o funcionário do Sporting Bruno Jacinto, suspeito de envolvimento nos incidentes de 15 de maio, na academia do clube, em Alcochete, fica a saber que vai aguardar o desenvolvimento do inquérito em prisão preventiva.

Após mais de três horas de interrogatório, o juiz de instrução criminal do Tribunal do Barreiro, no distrito de Setúbal, justificou a aplicação da medida de coação de prisão preventiva a Bruno Jacinto, que à data dos incidentes em Alcochete era oficial de ligação aos adeptos, por considerar que existe perigo de fuga, de perturbação do inquérito e de continuação da atividade criminosa.

Bruno Jacinto está indiciado, entre outros, pela prática, em coautoria, de mais de 20 crimes de ameaça agravada, 12 crimes de ofensa à integridade, 20 crimes de sequestro e um crime de terrorismo.

11 de outubro

O antigo funcionário do clube é ouvido no Tribunal do Barreiro. Bruno Jacinto terá dito que informou André Geraldes, na altura Team Manager do Sporting, da possibilidade de um ataque dos adeptos leoninos a Academia do clube, um dia antes dos acontecimentos.

Essa versão foi depois confirmada pelo seu advogado, à saída do Tribunal do Barreiro, explicando que o seu cliente "alertou a segurança da Academia antes da prática dos factos".

No mesmo dia, o ex-presidente do Sporting Bruno de Carvalho apresentou-se voluntariamente no Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP) para prestar declarações sobre a invasão à Academia do clube.

17 de outubro

O 'CM' avança que o ex-presidente do Sporting terá tido uma reunião dentro da ‘casinha’ da Juve Leo, em Alvalade, com cerca de 50 elementos da claque.

No encontro em causa que terá ocorrido a 7 de abril, os membros da Juventude Leonina confrontaram BdC com a possibilidade de "apertar os jogadores". Conta o "CM" que o ambiente nessa reunião era quente e inflamado e que o ex-presidente do Sporting nada ordenou mas lá disse que também nada faria para os impedir. "Façam o que quiserem", terá dito.

O matutino escreve ainda que na reunião presidida por Bruno de Carvalho, além dos adeptos  e do chefe da claque, Mustafá, estavam presentes e mantiveram-se em silêncio, entre outros, o diretor de segurança, Vasco Santos, e Bruno Jacinto, oficial de ligação aos adeptos do Sporting que está em prisão preventiva por crimes como terrorismo e ofensas graves à integridade física, tal como 37 elementos da Juve Leo que agrediram jogadores e equipa técnica a 15 de maio na Academia de Alcochete.

23 de outubro

O ex-presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, terá enviado mensagens agressivas a André Geraldes, ex-team manager leonino, na sequência da derrota dos 'leões' frente ao Marítimo, revelou a CMTV.

O referido canal de televisão revelou alegadas mensagens enviadas por Bruno de Carvalho a André Geraldes na véspera da invasão à Academia do Sporting em que o ex-líder leonino tece duras críticas à equipa após a derrota na última jornada da época 2017/2018 com o Marítimo.

"A p... que vos pariu a todos. Esse Rui [Patrício] é o rei! Vão-se f...!", começou por escrever Bruno de Carvalho numa alegada mensagem enviada a André Geraldes após a derrota por 2-1 no Funchal.

"Sobre a Taça [de Portugal], não irei e não existirá qualquer comemoração do Sporting. Foi anulado autocarro, festa na Câmara Municipal de Lisboa. Nada", terá escrito Bruno de Carvalho antes de sentenciar o assunto com uma última mensagem: "Metam a taça no cu...!".

31 de outubro

O Sporting confirmou o acordo com o Wolverhampton relativo à transferência do guarda-redes internacional português de futebol Rui Patrício, no valor de 18 milhões de euros, em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

A SAD do clube lisboeta informou a CMVM que, “por via do acordo celebrado, o jogador e a sociedade renunciaram a quaisquer direitos de que pudessem ser titulares em virtude do contrato de trabalho desportivo e da resolução unilateral promovida pelo jogador”.

11 de novembro

Bruno de Carvalho e Mustafá, líder da claque Juventude Leonina, foram detidos, disse à Lusa fonte da GNR. Os dois são suspeitos de envolvimento no caso da invasão à Academia de Alcochete, a 15 de maio.

12 de novembro:

- Bruno de Carvalho e Mustafá continuam detidos e fonte do Ministério Público indica que serão presentes a um juiz de instrução criminal no dia 13.

*artigo originalmente publicado a 24 de junho, atualizado às 18h17 de 12 de novembro.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.