“Foi um triunfo justo contra uma excelente equipa, das melhores equipas que esta época jogaram aqui no estádio da Luz. Já sabíamos que íamos ter dificuldades, mas o Benfica também esteve muito bem, só assim é que conseguiu vencer este adversário”, sublinhou.

Jorge Jesus considerou que o Benfica foi a equipa mais forte, mesmo quando se viu reduzida a dez elementos, por expulsão de Carlos Martins.

“Na primeira parte fomos a equipa mais dominadora, a equipa que teve sempre um caudal atacante maior do que o Guimarães. Na segunda parte entrámos muito fortes, fizemos o 2-1, fizemos o 3-1 com um grande golo do Carlos, e depois com a expulsão do Carlos complicou-se, tivemos 20 minutos a jogar com 10. O Guimarães a perder arriscou tudo pôs vários jogadores na nossa defesa, obrigou-nos a ter um bloco muito mais baixo, o Benfica procurou defender o 3-1, que era o resultado que interessava”, frisou o técnico no flash-interview.

Sobre a expulsão de Carlos Martins, autor de dois dos três golos, Jorge Jesus acredita que a mão na bola “não foi premeditada”, mas que a expulsão do médio “obrigou a jogar 20 minutos muito fortes, com brilhantismo, e a defender bem o 3-1”.

“O Carlos fez um excelente jogo, dois golos de grande classe e isto é o Benfica”, rematou o treinador, que ainda fez referência a Keirisson, que se diz estar de saída da Luz, reforçando que “é jogador do Benfica e não deve sair”.

Já Paulo Sérgio, apesar da derrota, considerou que a sua equipa teve “uma boa prestação”, procurando “sempre discutir o jogo” e criando “um bom número de ocasiões para poder ter feito outro tipo de resultado”.

“Sofremos dois golos na segunda parte, um pouco consentidos, mas penso que acima de tudo aquilo que nos faltou mais foi, depois com algum tempo em vantagem numérica, ter tido mais categoria a circular melhor a bola”, frisou o técnico vimaranense, que lamentou ainda “a falta de sorte”.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.