De acordo com informações divulgadas pela UEFA, o organismo vai manter algumas restrições para a época de 20/21.

O Comité de Controlo Financeiro de Clubes entende assim que o clube cumpriu apenas de forma parcial as metas do fair-play financeiro que foram aplicadas para 19/20.

Estas prendem-se com a limitação do número de jogadores da Lista A e as restrições dos jogadores recém-transferidos.

Apesar do organismo reconhecer o esforço dos azuis e brancos, o clube vai continuar sujeito às "medidas desportivas condicionais."

O Wolverhampton, treinado pelo português Nuno Espírito Santo e que disputa a Liga inglesa de futebol, também vai estar sob ‘vigilância' financeira da UEFA nas próximas duas épocas (2020/21 e 2021/22), depois de "não ter cumprido com os requisitos exigidos" em 2019/20.

Além do clube inglês, os franceses do Lille e os turcos do Basaksehir entram nesta lista de controlo financeiro da UEFA, sendo que ambos vão ficar em regime de monitorização nas próximas quatro temporadas (2020/21, 2021/22, 2022/23 e 2023/24).

A UEFA informou ainda que Galatasaray, Kairat Almaty e Maccabi Telavive "cumpriram as metas acordadas para a temporada 2019/20", mas vão continuar em regime de monitorização, enquanto os romenos do Cluj cumpriram com os objetivos definidos em 2019 e deixaram de estar sob vigilância do CFCB.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.