O equilíbrio foi a nota dominante da partida e a melhor fase do jogo até foi de ascendente dos algarvios, na primeira parte. Mas, no segundo tempo, mesmo sem jogar bem, a União de Leiria marcou nas duas vezes que chegou à baliza de Ventura.

O triunfo permite aos leirienses ficarem mais próximos dos lugares que dão acesso às provas da UEFA, enquanto o Olhanense complica a sua posição na luta pela manutenção.

Os primeiros 20 minutos foram de mau futebol de parte a parte. Só depois disso o Olhanense acertou o passo e começou a empurrar a União de Leiria para a sua área.

Com Ukra e Paulo Sérgio em evidência, os algarvios complicaram os planos a Lito Vidigal.

Pelas alas, o Olhanense construiu os melhores lances da primeira parte. Rabiola e Castro, este por duas vezes, estiveram perto de inaugurar o marcador, depois de lances rápidos de entendimento.

No “areal” em que está transformado o (degradado) relvado do Municipal de Leiria, a União de Leiria sentiu muitas dificuldades em libertar-se da boa organização do Olhanense - e também da ambição, pois foi sempre um adversário incómodo, pressionante e com olhos no ataque.

André Santos ainda tentou empurrar a equipa para a frente, mas Silas, Carlão e Cássio nunca entenderam as ideias dos seus companheiros mais recuados. Nas poucas ocasiões em que os leirienses conseguiram rematar, a bola foi sempre parar à pista de atletismo.

Apesar do ascendente do Olhanense, o jogo foi empatado para intervalo, após o qual regressou ao registo inicial: muita luta e pouco interesse.

Sem que encontrasse forma de se impor, a União de Leiria acabou por chegar ao golo, aos 61 minutos, aproveitando um erro do adversário: lançamento longo da direita, Cássio disputou de cabeça a bola, a defesa do Olhanense falhou a interceção e Silas, com arte, tirou Ventura do caminho e fez o 1-0.

Em desvantagem, Jorge Costa tentou virar a sua equipa para o ataque, com as entradas de Delson e Jalmir. Mas apesar dos algarvios aparecerem mais vezes junto da área da União de Leiria, nunca o fizeram com perigo significativo.

Yazalde foi o último trunfo lançado para o Olhanense chegar ao empate e, aí, Lito Vidigal jogou pelo seguro: a União de Leiria mudou para 5-4-1, só com Carlão na frente.

As cautelas do treinador da União de Leiria resultaram. Até final, o Olhanense não só andou sempre longe da baliza de Djuricic, como Vítor Moreno ainda conseguiu elevar para 2-0, após um lance em que Carlão rematou ao poste.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.