Declarações de Vítor Oliveira, treinador do Gil Vicente, à Sport TV, após a derrota (2-1) diante do Sporting, no Estádio José Alvalade, da 29.ª jornada da I Liga.

"Os resultados são sempre justos. Traduzem a diferença entre golos marcados e sofridos. O Sporting marcou dois, nós fizemos um e, por conseguinte, o resultado é justo. O jogo foi dividido, tivemos alturas em que estivemos por cima do Sporting e outras em que o Sporting foi melhor. Não houve muitas ocasiões, mas penso que houve para os dois lados. Duas ou boas situações em cada parte para nós. Em contra-ataque, na segunda parte o Sporting podia ter acabado com o jogo. O Sporting não marcou e nós fizemos um golo muito perto do final."

"Mais uma vez, o tempo dado não foi o correto. Quatro minutos, com tantas substituições, um penálti e um livre que demorou imenso tempo a marcar... penso que as pessoas deviam ser mais justas no critério do tempo, que é um fator muito importante. Não há qualquer tipo de pressão, as pessoas estão tranquilas e deviam ter mais isso em atenção. É uma situação importante que nos faz estar na cauda da Europa em termos de tempo de jogo."

"A minha equipa agradou-me mais do que nos outros jogos que fizemos fora. Fomos mais capazes, mas algo ineficazes no último terço. Conseguimos chegar lá com relativa facilidade, mas não tivemos arte nem engenho para materializar. Vamos continuar a procurar os pontos para garantir a permanência na I Liga. Sofremos dois golos em dois erros. Os pormenores são extremamente importantes no futebol e nesta fase são mais importantes."

[Futuro] "Nunca penso na próxima temporada enquanto as situações ainda não estão resolvidas. Não tenho compromisso com ninguém. Já tinha manifestado à direção do clube que não queria continuar e a direção resolveu arranjar um novo treinador e tem toda a legitimidade para isso. Não tinha era legitimidade para o tornar público, porque isso provoca sempre alguma instabilidade no balneário."

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.