O treinador Vítor Oliveira prometeu hoje um Gil Vicente competitivo na deslocação ao Sporting, em encontro da 29.ª jornada, amparado pela “confiança” recuperada com o regresso recente aos triunfos na I Liga de futebol.

“A confiança tem um papel preponderante na atualidade e podemos constatar isso pelas exibições e comportamento de diversas equipas neste campeonato. Temos legitimidade para pensar numa surpresa em Alvalade, mas não vamos entregar os pontos, que terão de ser disputados a palmo nesta fase”, referiu o técnico, em conferência de imprensa.

Os minhotos assinalaram a retoma da prova com três derrotas consecutivas e reencontraram-se com o caminho das vitórias na receção ao lanterna-vermelha Desportivo das Aves (3-0), que consumou na segunda-feira a despromoção à II Liga, adquirindo algum fôlego antes da visita a um Sporting invicto sob alçada de Rúben Amorim.

“É uma equipa que está com potencial elevado e aquela confiança que ajuda a ganhar jogos, mas temos muito pouco a perder e muito a ganhar. A responsabilidade maior será do Sporting, que tem tido períodos de boa qualidade futebolística e jovens talentos a despontar, capazes de resolver o jogo ​​​​​​​em ‘dia sim’”, analisou.

Defendendo que os ‘leões’ “ainda estão à procura da identidade”, Vítor Oliveira avisou que a aposta na juventude acarreta “uma vontade incrível de mostrar serviço e também alguma irregularidade”, embora surja num contexto ideal para aquilatar o talento “muito mais rapidamente, apoiado por jogadores de maior experiência e grande qualidade”.

“Não acredito que o Sporting lute pelo título na próxima época com estes jogadores. É impossível e é preciso mais. Agora acredito plenamente que pode fazer com estes jovens uma parte final de campeonato excelente. Não há a pressão do título e não há público nos estádios. São duas ajudas enormes e o Sporting pode tirar alguns benefícios”, apontou.

O Gil Vicente conserva nove pontos de distância para a zona de despromoção à entrada para os últimos seis jogos e o experiente técnico, que regressa ao banco após ter cumprido castigo na ronda anterior, considera ser “manifestamente poucos para tranquilizar” um plantel “aquém do nível exibido antes da pandemia”.

“Temos uma série de jogadores emprestados e outros começam a jogar fora do prazo a partir de amanhã [quarta-feira]. Isso é sempre motivo de preocupação. Não é igual ter um jogador que tem contrato e dá o seu máximo em campo face a outro que sabemos que sairá no fim da época e pode estar ou não disponível para correr riscos”, comparou.

Vítor Oliveira, de 66 anos, terminou a antevisão a anunciar a saída do comando técnico do Gil Vicente no final da temporada, um ano após ter sido contratado para montar um plantel de raiz e orientar o regresso dos minhotos pela via administrativa ao escalão principal, a partir do Campeonato de Portugal, na sequência do ‘caso Mateus’.

O Gil Vicente, na 11.ª posição, com 33 pontos, nove acima da zona de despromoção, desloca-se ao terreno do Sporting, terceiro colocado, com 52, na quarta-feira, às 21:15, no Estádio José Alvalade, em Lisboa, para o encontro de encerramento da 29.ª jornada da I Liga, que terá arbitragem de Rui Oliveira, da associação do Porto.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.