As autoridades argentinas proibiram a entrada de mais de 400 adeptos em estádios de futebol, devido a casos de violência e venda ilegal de bilhetes. Entre os adeptos, estão 284 do campeão da Libertadores, River Plate.

A 23 de novembro, um dia antes da partida da segunda-mão da final da Taça Libertadores entre River e Boca Juniors, a polícia encontrou sete milhões de pesos argentinos (165 mil euros) e 300 bilhetes na casa de Héctor "Caverna" Godoy, um dos líderes da claque organizada do River Plate, 'Los Borrachos del Tablón'.

No dia seguinte, o autocarro da comitiva do Boca Juniors foi atacado por adeptos do River. Alguns jogadores ficaram feridos e o jogo acabou suspenso e mudado para o estádio Santiago Bernabéu, em Madrid, Espanha. O River venceu por 3-1 e sagrou-se campeão da Libertadores.

Devido a violência nos jogos de futebol na Argentina, a presença de adeptos é visitantes é proibida em todas as categorias do futebol argentino, desde 2013. No entanto, a decisão não evitou as mortes: seis em 2018 e 139 nos últimos 20 anos, segundo o 'Salvemos al Fútbol'.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.