O Real Massamá sente-se “enganado” pela Federação Portuguesa de Futebol (FPF), que hoje indicou o desfecho para o Campeonato de Portugal, devido à pandemia de COVID-19, e lamentou que no final tenho sido “tudo uma mentira”.

O clube da zona de Sintra, que ocupava a segunda posição da Série D em igualdade pontual com o líder Olhanense, ambos com 57 pontos, reagiu em comunicado à decisão do organismo que rege a prova e não poupou nas críticas, visto que estavam em posição para disputarem os ‘play-offs’ de subida à II Liga.

“A primeira ideia que nos vem à cabeça é a de que, mais uma vez, fomos enganados. E por quem? Pela FPF”, começa por dizer o Real, na nota divulgada.

O Real Massamá dá conta de que foi “contactado por responsáveis da FPF para estar preparados para o play-off”, pelo que ficou revoltado depois de o organismo comunicar que o Vizela (Série A) e o Arouca (B), os dois clubes que totalizavam mais pontos na altura da suspensão do Campeonato de Portugal, foram hoje indicados para ascender ao segundo escalão.

“Afinal de contas, era tudo uma mentira. Sentimo-nos ludibriados. E por quem? Pela FPF”, reforçou.

O clube considera “inadmissível o fundamento da decisão no reconhecimento do mérito desportivo apenas com base no maior número de pontos, ignorando completamente o mérito desportivo dos outros clubes e de séries mais competitivas”.

O Real diz ainda que foi “espoliado” pela FPF, que “andou a atirar areia para os olhos dos clubes do Campeonato de Portugal, lançando um fundo que serviu para calar a maioria”.

A terminar, acrescenta que o desfecho é “uma questão de interesses, que a verdade desportiva foi mais uma vez metida no bolso e que só existe uma saída para o Presidente da Federação”.

O Campeonato de Portugal é uma competição em duas fases. Na primeira, 72 clubes competem em quatro séries de 18 equipas. Os dois primeiros de cada série disputam, depois, um ‘play-off’ para encontrar os dois a indicar à II Liga.

A prova foi, no entanto, interrompida em março, quando faltavam disputar nove jornadas da primeira fase e todos os clubes se encontravam com o mesmo número de jogos.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de COVID-19 já provocou quase 239 mil mortos e infetou mais de 3,3 milhões de pessoas em 195 países e territórios.

Mais de um milhão de doentes foram considerados curados.

Em Portugal, morreram 1.023 pessoas das 25.190 confirmadas como infetadas, e há 1.671 casos recuperados, de acordo com os dados divulgados hoje pela Direção-Geral da Saúde.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.