O futebolista Adam Dzwigala rescindiu por mútuo acordo a ligação ao Desportivo das Aves, após vários meses de salários em atraso, confirmou hoje Estrela Costa, acionista da empresa gestora da SAD do clube despromovido à II Liga.

O defesa central, de 24 anos, jogou 17 partidas e estava vinculado até junho de 2022 à formação do concelho de Santo Tirso, pela qual assinou há um ano, oriundo do Wisla Plock, após ter acumulado experiência em outros clubes do futebol polaco.

Adam Dzwigala evitou uma rescisão unilateral, a par do brasileiro Cláudio Falcão, ao contrário dos guarda-redes Quentin Beunardeau e Raphael Aflalo, dos defesas Afonso Figueiredo, Jonathan Buatu e Mato Milos, dos médios Aaron Tshibola, Estrela, Pedro Delgado e Reko Silva e dos avançados Kevin Yamga, Rúben Macedo e Welinton Júnior.

Estrela Costa indicou ainda à Lusa o fim dos empréstimos do médio Rúben Oliveira, cedido pelo Vitória de Guimarães, e do avançado chadiano Marius Mouandilmadji, oriundo do FC Porto, enquanto o guarda-redes brasileiro Fábio Szymonek não renovou o contrato que terminava em julho e é um jogador livre.

A administração da SAD, liderada pelo chinês Wei Zhao, acumula quatro meses de dívidas salariais e assistiu na quinta-feira à rescisão unilateral do treinador Nuno Manta Santos, que conduziu os nortenhos à 18.ª e última posição da I Liga de 2019/20, com 17 pontos, outros tantos abaixo da zona de ‘salvação’, e à descida à II Liga.

O Desportivo das Aves falhou os requisitos de licenciamento das provas profissionais da próxima época junto da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, mas dispensou o recurso para o Conselho de Justiça da Federação Portuguesa de Futebol, acatando um desfecho que determina a descida por via administrativa ao Campeonato de Portugal.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.