O treinador e alguns jogadores do Sporting da Covilhã, da II Liga de futebol, foram hoje entregar presentes na Pediatria do Centro Hospitalar Cova da Beira e "marcar um golo" fora de campo.

Na impossibilidade de todo o plantel poder participar na visita, coube aos capitães Gilberto, Joel, Zarabi e Igor Araújo distribuírem boa disposição pelas enfermarias e entregarem as prendas compradas pelos próprios com o dinheiro da caixa das multas da equipa.

"Viemos marcar um golo por toda a Covilhã. É importante esta nossa responsabilidade. É um gesto social que com certeza vai ser repetido ao longo do ano, porque é bom estarmos próximos da população", realçou José Augusto, o técnico serrano, em declarações à agência Lusa.

A comitiva foi interagindo com as crianças e oferecendo brinquedos, perfumes e bolas.

Joana, sentada na cama, informa ter um cão chamado Joel. Todos riem. Na mesma enfermaria outra menina manifesta a vontade de ter também um animal de estimação. "Vai chamar-se Gilberto?", gracejam alguns.

Mais à frente Gonçalo, nove anos, com um cateter no dorso da mão, recebe com grande entusiasmo uma bola e avisa desde logo que, apesar de nunca ter visto a equipa jogar, é do Sporting da Covilhã.

"Jogar futebol é o meu sonho de vida. Gosto muito. Alguns são batoteiros, mas eu sou o melhor jogador de todos", avisa, depois de ser convidado a ir um dia treinar com o plantel. "Mãe, sabes onde é? Sabes? Eu quero ir", impacienta-se Gonçalo.

Para Gilberto, o capitão, é importante quem representa o Sporting da Covilhã, enquanto instituição da cidade, promover o contacto com a comunidade, especialmente nesta quadra festiva.

"Quisemos vir dar um abraço, um carinho, um miminho. É sempre bom sentir o calor humano e nós estamos satisfeitos por podermos fazer parte disto", sublinhou o médio, à agência Lusa.

A visita fez Zarabi projetar os seus filhos nas crianças que encontrou e considera ser bom para quem está internado "ver caras novas".

João Casteleiro, presidente do Conselho de Administração da unidade hospitalar, acompanhou a visita e salientou ter a porta aberta às instituições da cidade.

"Claro que nestas alturas, e principalmente na altura do Natal, são sempre bem-vindas as instituições que existem pela cidade. Muito mais em relação às crianças. É uma nota de alegria que entra pelo hospital adentro", frisou o cirurgião.

Depois de ter distribuído os embrulhos e de na última jornada a equipa ter oferecido "de presente" à Académica os dois golos com que o Sporting da Covilhã foi derrotado, José Augusto espera passar o Natal com uma vitória no sapatinho, após o jogo de quinta-feira com o Gil Vicente, na 18.ª jornada da II Liga.

"Nós oferecemos dois presentes à Académica, é essa a verdade do jogo. A nossa alma será esta, sermos guerreiros em todos os jogos e lutarmos em qualquer campo pela vitória", vincou o treinador.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.