As ausências na deslocação a Trofa de Leandro Tatu, melhor marcador dos ‘encarnados’ de Ponta Delgada e segundo do campeonato (13 golos), e do capitão Oliveira devem-se a castigo por acumulação de cartões amarelos, considerando Filipe Almeida que as alternativas encontradas “são fortes”.

“[Tatu e Oliveira] fazer falta fazem. Os jogadores bons fazem sempre falta”, mas os atletas que os vão substituir garantirão um bom desempenho da equipa, assegurou o treinador adjunto do Santa Clara, que ocupa a 3.ª posição da Liga de Honra, com 47 pontos, menos um do que os dois primeiros - Beira-Mar e Portimonense.

Filipe Almeida reafirmou a confiança no bom momento da equipa açoriana - evidenciado na “grande competitividade dos jogadores manifestada nos treinos”, onde não se nota o desgaste observado na época passada -, sublinhando que o Santa Clara revelou ter o melhor ataque do campeonato e uma das melhores defesas.

“Não estamos minimamente preocupados com os outros” e o que nos importa, agora, é “ganhar os três jogos” que falta para regressar ao escalão principal insistiu.

Sobre a partida com o Trofense (6.º classificado com 39 pontos), o treinador adjunto dos encarnados de Ponta Delgada disse que se apresenta como um “jogo difícil contra um adversário que no início da época se apetrechou”.

Trata-se de uma “belíssima equipa”, embora “nunca tenha conseguido fazer o campeonato que desejava”, acrescentou.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.