O presidente do Sporting da Covilhã, José Mendes, assumiu hoje como objetivo até ao fim do seu mandato fazer regressar o clube à I Liga de futebol, que não disputa desde 1987/88.

Para lá chegar, o dirigente apelou ao apoio dos sócios e das instituições da região, reconhecendo como meta para a atual temporada assegurar a manutenção quanto antes e conseguir "a melhor classificação possível".

"O Sporting da Covilhã é o clube com mais épocas seguidas na II Liga, 12. Temos o estatuto e temos de começar a pensar em chegar lá, mas com os pés bem assentes no chão, porque não vamos abdicar do rigor financeiro. Não é de qualquer maneira. Queremos chegar à I Liga com os pés bem assentes no chão", sublinhou, em declarações à agência Lusa, José Mendes, reeleito há duas semanas para mais três anos na liderança dos serranos.

O presidente afirmou ter um dos orçamentos mais baixos do segundo escalão, cerca de 750 mil euros, por isso pediu que "os sócios, que os empresários, que as instituições da cidade e da região apoiem o clube", para tornar mais fácil esse objetivo.

"O Sporting da Covilhã está a um passo de chegar à I Liga, com a ajuda de todos é mais fácil lá chegar. Sem a ajuda de todos, torna-se muito mais difícil, mas não impossível", reconheceu o dirigente, há 15 anos na presidência do clube.

José Mendes quer "acabar esta época bem", para programar a próxima e lembrou que em 2014/15 o Sporting da Covilhã disputou a subida até à última jornada com um orçamento muito baixo, mas acrescentou que chegar ao principal escalão nessas condições, sem apoios que sustentem esse objetivo, é uma exceção.

"Estivemos quase a chegar à I Liga, foi com muito azar que não o conseguimos e tínhamos um orçamento reduzido. Agora, milagres só há de vez em quando. Acabou por não acontecer, mas estamos sempre a trabalhar para chegarmos o mais longe possível, temos o objetivo de chegar à I Liga", vincou.

A equipa não conseguiu os resultados pretendidos na primeira metade do campeonato e chegou a dezembro no 18.º e último lugar, mas desde então somou nove jogos sem perder e encontra-se no nono lugar, com 34 pontos. Uma recuperação que se deveu ao investimento feito em seis reforços na reabertura do mercado.

"A equipa está com outros custos que não tinha no início do campeonato. Gastámos mais do que estávamos a pensar gastar, mas dentro dos limites, porque mantemos o princípio de sermos um clube cumpridor", rematou José Mendes.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.