O presidente do Nacional, Rui Alves, disse hoje que continuará enquanto os sócios quiserem à frente do emblema despromovido à II Liga portuguesa de futebol, durante uma Assembleia Geral do clube.

"Será até quando os sócios quiserem", disse Rui Alves, que disse ter de "respeitar opiniões e colocar-se ao dispor da massa associativa" e no "palco indicado, que é a assembleia geral".

Sobre o novo treinador, Luís Freire, que substituiu Costinha, Rui Alves disse ter feito a escolha pela "competência e ambição" do técnico, num projeto que passará pelo regresso ao principal escalão nacional já na próxima época.

O presidente da Assembleia Geral, Miguel de Sousa, mostrou-se muito satisfeito com a participação dos sócios, afirmando que os presentes "abordaram a vida do clube de uma forma aberta".

Miguel de Sousa referiu que "houve doze intervenções bastante completas sobre a vida do Nacional, de uma forma variada e não repetitiva".

Com a descida consumada, o líder da assembleia geral diz que é tempo de "virar a página e continuar com a vida do clube, com a grandeza que sempre teve", com a certeza de que "neste momento não há nada quanto a eleições antecipadas".

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.