O antigo capitão da seleção angolana de futebol Fabrice Mayeco "Akwá" afirmou esta segunda-feira que a falta de calma e desatenção dos atletas contribuíram para a eliminação dos Palancas Negras nos quartos-de-final do CHAN'2018, que decorre em Marrocos.

Reagindo a derrota domingo diante da Nigéria, por 1-2, o ex-craque referiu à Angop que, além das substituições não terem surtido os efeitos desejados, faltou concentração e frieza aos jogadores na fase derradeira do desafio.

“O jogo só termina com o apito do árbitro. Os nossos jogadores não tiveram calma e a concentração necessária que lhes permitisse conservar a vantagem de uma bola”, frisou.

O autor do golo que qualificou Angola para o inédito campeonato do mundo (Alemanha'2006) disse que, em função deste comportamento, os nigerianos acreditaram e lutaram em busca do empate.

Referiu que as substituições por parte de Angola não surtiram os efeitos desejados e que nos jogos a eliminar quem comete menos erros acaba por ter vantagem, acrescentando que os angolanos se deixaram surpreender pela grande pressão do adversário.

Apesar da eliminação na prova para atletas que evoluem nos respetivos países, a ex-estrela reconhece o trabalho realizado pela equipa técnica e o empenho dos atletas, sugerindo a manutenção do grupo tendo em conta os próximos compromissos, designadamente as eliminatórias do CAN'2019, nos Camarões.

Sobre o encontro, disputado no estádio Ibn Batou, na cidade marroquina de Tânger, os Palancas Negras marcaram aos 55 minutos e mantiveram a vantagem até ao primeiro minuto dos três de compensação, quando a Nigéria restabeleceu a igualdade e levou a partida ao prolongamento. Os nigerianos rubricaram o tento da vitória aos 109 minutos.

Com este resultado, a Seleção Angolana ficou longe da sua melhor prestação nesta competição em que foi finalista na edição de 2011.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.