Danny foi finalmente confrontado com a sua longa ausência da Seleção portuguesa e os rumores de ter alegadamente fingido uma lesão durante o consulado de Paulo Bento, mas a tudo o médio ofensivo do Zenit respondeu sem dar explicações.

"Não tenho nada a esclarecer, sempre estive disponivel para a Seleção. Agora estou cá, com muita vontade de ajudar a nossa seleção a cumprir os nosso objetivos. É verdade que às vezes podemos estar fisicamente mal na seleção como no clube, mas treino todos os dias para ser convocado", começou por dizer o jogador de 31 anos.

Apesar de ter estado longe da equipa das quinas durante cerca de um ano, o internacional português recusou ter recebido qualquer justificação para não ser chamado por Paulo Bento. "Isso é passado, agora estamos no presente. É preciso trabalhar bem no clube para estar na seleção. Volto a repetir, no futebol às vezes temos lesões e não se pode jogar. As opções do treinador têm de ser respeitadas e eu trabalharei sempre para representar a seleção. Ninguém tem que dar explicações a ninguém. O treinador tem de escolher e escolheu os seus jogadores e eu tenho de respeitar as suas opções", frisou.

Por outro lado, o médio ofensivo diz estar preparado para ajudar Portugal, agora sob o comando de Fernando Santos: "Todos trabalham com o objetivo de levar a seleção o mais longe possivel e de cumprir os objetivos. Queremos sempre ganhar e é por isso que estamos aqui."

Portugal defronta a França este sábado no Stade de France, em jogo oficioso, e mede forças com a Dinamarca na próxima terça-feira, em encontro a contar para a fae de apuramento para o Euro2016.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.