Com o apuramento para o EURO2020 garantido, depois do triunfo do passado domingo sobre o Luxemburgo, o pensamento vira-se agora para quem irão ser os 23 nomes que Fernando Santos chamará para a fase final, onde Portugal vai defender o título conquistado em 2016.

O selecionador utilizou, ao todo, 26 jogadores ao longo da fase de qualificação e apenas dois foram totalistas, alinhando os 720 minutos dos 8 encontros disputados pelos atuais campeões europeus no Grupo B de apuramento: Rui Patrício de Rúben Dias. E só outros dois jogadores, Bernardo Silva e Cristiano Ronaldo, estiveram também em campo em todos os jogos.

Para além destes quatro nomes, vários outros jogadores terão, contudo, lugar garantido na convocatória a menos que qualquer contratempo ou lesão os impeça de dar o seu contributo à selecção em Junho. Mas haverá ainda muito por decidir. Vamos por partes.

Baliza sem grandes dúvidas

Na baliza não existirão dúvidas em relação à titularidade de Rui Patrício, que durante esta fase de qualificação se tornou no guarda-redes mais internacional de sempre por Portugal. Fernando Santos só chamou mais outros dois guarda-redes durante a campanha de apuramento, Beto e José Sá, e serão eles que estão na linha da frente para acompanhar o atual guardião do Wolverhampton. Mas haverá sempre a possibilidade de outro se destacar até ao final da época e intrometer-se assim na luta.

Laterais são (boa) dor de cabeça

No centro da defesa, para além do totalista Rúben Dias, também Pepe e José Fonte parecem intocáveis. Outros quatro defesas-centrais foram chamados por Fernando Santos na durante a qualificação, mas não totalizaram qualquer minuto: Daniel Carriço, Ferro, Domingos Duarte e Rúben Semedo. De entre estes deverá sair o nome do quarto central, caso o selecionador opte por levar quatro jogadores para essa posição.

Saiba quem já tem lugar marcado no Euro 2020. Apenas uma vaga por preencher
Saiba quem já tem lugar marcado no Euro 2020. Apenas uma vaga por preencher
Ver artigo

Já lateral-esquerda não parecem restar grandes dúvidas: Raphäel Guerreiro só descansou um jogo na qualificação, ante a Lituânia, e Mário Rui, que ocupou o lugar nesse jogo, deverá ser a outra opção. A menos que Fernando Santos prefira uma solução que lhe permita resolver a (boa) dor de cabeça que terá na lateral-direita, para onde há vários candidatos à chamada. Ricardo Pereira, em grande forma no Leicester, foi o titular nos últimos jogos, Nélson Semedo também esteve presente em vários jogos, mas o verdadeiro "dono" do lugar foi João Cancelo. O "engenheiro" poderá até optar por levar os três e assim resolver o "problema", dada a possibilidade de Cancelo alinhar como lateral-esquerdo. Assim, o sacrificado acabaria por ser Mário Rui.

Meio-campo com seis intocáveis

No meio-campo as coisas parecem bem encaminhadas. Danilo, William Carvalho e Rúben Neves são nomes que dão garantias como médios-defensivos e, um pouco mais à frente, João Moutinho, Pizzi e Bruno Fernandes também serão intocáveis.

Menos duas seleções no caminho de Portugal
Menos duas seleções no caminho de Portugal
Ver artigo

João Mário, Renato Sanches e André Gomes, que estiveram na conquista do EURO2016, foram igualmente chamados durante esta fase de qualificação, mas por motivos diferentes terão dificuldades em figurar, desta feita, nos eleitos: o último lesionou-se recentemente com gravidade e estará afastado dos relvados por muito tempo, Renato Sanches tarda em afirmar-se, agora em França, e João Mário está longe da forma que evidenciava há três anos.

Quem estará com Ronaldo e Bernardo Silva no ataque?

Para a frente de ataque a dúvida reside em saber quem irá seguir com Bernardo Silva e Ronaldo. João Félix, Gonçalo Guedes e Rafa, se recuperarem bem das lesões que neste momento os afetam, são fortes candidatos à convocatória. Há ainda Bruma, chamado com regularidade ao longo da qualificação apesar de ter alinhado apenas 46 minutos, e Daniel Podence, convocado duas vezes mas ainda sem qualquer internacionalização.

Como ponta-de-lança de raiz, André Silva parece levar vantagem e dificilmente ficará de fora. Se Fernando Santos quiser levar dois avançados fixos, Gonçalo Paciência, que deu boa conta de si na estreia, frente à Lituânia, com um golo, deverá ser o escolhido. Éder, herói do EURO2016 que chegou a ser chamado para esta campanha ainda que sem entrar em campo, e Dyego Sousa, que esteve nos dois primeiros jogos da qualificação mas que entretanto rumou ao campeonato chinês, desaparecendo dos radares, dificilmente entrarão nestas contas.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.