Qatar, 20 de abril de 1995. Portugal joga o Campeonato do Mundo de Sub-20 de futebol. Campeão em 1989 e 1991, Portugal tinha falhado a presença na edição de 1993, mas em 1995 voltava a fazer o país sonhar, com uma geração repleta de jogadores talentosos e com um nome a destacar-se mais do que todos os outros: Dani.

Jogava-se a terceira jornada da fase de grupos e, depois de dois brilhantes triunfos nas duas primeiras jornadas (3-2, 'de virada', frente a Honduras, e 1-0 frente à Argentina com um golaço de Dani), Portugal já tinha o passaporte para a fase seguinte carimbado. Mas nem por isso tirou o pé do acelerador. Frente à Holanda, um triunfo claro, por 3-0. E um golo que ficou na memória de todos os que a ele assistiram, pela criatividade e insólito da situação.

O selecionador Nelo Vingada era conhecido pelo seu 'engenho' na criação de lances de laboratório. E ali assistiu-se a mais um exemplo. Num livre lateral, no enfiamento da grande área holandesa, o esquerdino Dani e o destro Bruno Caires perfilavam-se para bater a bola para a área. Os dois tomam balanço e os dois correm para a bola em simultâneo. Quando lá chegam empurram-se e voltam costas, como se 'chateados' um com o outro.

Mas, perante o olhar estupefacto dos defesas holandesas, Dani aproveita para bater, de pronto, a bola para o segundo poste, onde Agostinho surge a cabecear para o terceiro golo. Tudo não tinha passado de um lance previamente trabalhado nos treinos e o 'desentendimento' entre os dois jogadores lusos tinha sido combinado entre ambos. Um lance que teve tanto de insólito como de brihante e que certamente jamais será esquecido por quem o viu.

VÍDEO: RECORDE O MOMENTO EM QUE DANI E BRUNO CAIRES SE 'DESENTENDEM'

Portugal acabaria por cair, depois, por terra nas meias-finais desse Mundial de Sub-20, eliminado por um Brasil que viria a perder a final ante uma Argentina a quem tinha ganho na fase de grupos. A Seleção das Quinas garantiria, depois, a medalha de bronze ao bater a Espanha de Raúl González, Fernando Morientes e Ivan de La Penã, entre outros, por 3-2. Por Portugal, para além de Dani e Bruno Caires, destacavam-se nomes como Nuno Gomes, o guarda-redes Quim ou o defesa-central Beto.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.