O selecionador português fez, este domingo, a antevisão ao jogo desta segunda-feira com a Sérvia, a contar para a segunda jornada do grupo B de qualificação para o Europeu 2020. O técnico salientou que os sérvios são uma equipa de posse e que cria muitas complicações se tiver espaço, e falou ainda da chamada do jovem João Félix à equipa das quinas.

Jogo com a Sérvia: "Penso que é uma equipa que tem algumas semelhanças com a Ucrânia, uma equipa de posse, que gosta de sair a jogar, não é de pontapé para a frente. Em termos de características individuais são ligeiramente diferentes. A Sérvia tem jogadores muito rápidos, mas essencialmente com boa posse de bola, uma equipa que se tiver espaço cria muitas complicações. Esperamos um jogo parecido [com o da Ucrânia] com uma equipa mais rápida a explorar as transições defesa-ataque."

Ausência de João Félix do treino: "O Félix ontem [sábado] treinou bem, normalmente, foi para o treino e isso aconteceu. Sentiu ali um desconforto no pé, foi para dentro para ser analisado e vamos aguardar, com tranquilidade. Não se sentia na plenitude em termos de funcionamento do pé, o que os médicos me dizem é que não é nada preocupante. Vamos esperar estas 24 horas. Diria que está 50-50, não sei... As indicações que tenho é de que não será mais do que uma inflamação."

Alterações no onze: "Mais do que o resultado do jogo com a Ucrânia, que nunca foi aquilo que nós esperávamos, as alterações podem vir pela componente física. Há jogadores que correm mais durante o jogo e jogadores que têm mais jogos do que outros. Este adversário [Sérvia] não teve um jogo oficial e jogou um particular na quarta-feira, com a Alemanha. Vamos estar atentos a essas questões. Dentro do enquadramento e do que nós perspetivamos, vamos ver qual será o melhor onze a apresentar."

16 vitórias (18 jogos) em fases de apuramento desde que é selecionador: "Temos sempre confiança, os números mostram bem isso. Em 18 jogos foram 16 vitórias, um empate e uma derrota, isso só pode dar confiança aos jogadores. Mas cada jogo é um jogo. Depois de cada jogo olhamos para ele e vemos o que podíamos ter feito melhor. Vamos sempre encontrar situações para melhorar. Com a Ucrânia faltou-nos o golo, tivemos quatro ou cinco oportunidades, mas em termos ofensivos houve momentos em que a equipa circulou bem, mas circulou mais atrás. Vamos continuar a jogar com qualidade e tentar criar mais problemas ao adversário, senão acaba por ficar mais confortável na ação defensiva. Temos de ser mais agressivos na ação ofensiva. No momento da perda de bola temos de obrigar o adversário a falhar. É isso que vamos procurar fazer. Os jogadores deste lote que está disponível têm essa qualidade."

Chamada de João Félix à Seleção Nacional: Se eu não achasse que o João tinha qualidade, acham que estaria na Seleção Nacional? Eu só o convoquei porque acreditei que tem um potencial enorme, com tantos jogadores que tenho para convocar. Não ia escolher o João só por ser o João... Todos os jogadores que aqui estão são de enorme qualidade.

Comparação ao Ronaldo? "Algumas frases que digo na rua não posso dizer como treinador. Vou repetir. Todos os jogadores que estão na seleção são jogadores de enormíssima qualidade. Agora não se pode comparar coisas que não são comparáveis. Não têm características iguais. São dois jogadores de grandes qualidades, mas são completamente distintos".

Jogadores jovens e de eleição: "Para comparar tinham de ser jogadores com características muito semelhantes. Mas de facto têm enorme qualidade. São jogadores de eleição que podem chegar à seleção com 16, 17 ou 18 anos e são muito poucos. Futre, Chalana, Ronaldo. Têm muita qualidade senão não chegavam à seleção principal com esta idade".

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.