Depois de voltar a depender apenas de si próprio para garantir o segundo lugar do Grupo 1, na sequência da vitória (3-0) sobre a Hungria e da derrota da Suécia (1-0) na Dinamarca, a equipa lusa pode festejar o apuramento para o "play-off" no D. Afonso Henriques, frente à 140.ª equipa do ranking FIFA.

Caso imponha a sua superioridade e garanta o segundo posto do grupo, Portugal deverá ser cabeça-de-série no sorteio para o "play-off" (14 e 18 de Novembro), evitando assim as selecções da França, Grécia e Rússia, podendo apenas ser relegado para o lote dos não favoritos por uma selecção.

Apenas a selecção da Croácia poderá ultrapassar Portugal no lote dos cabeças-de-série, mas para isso os croatas terão de vencer no Cazaquistão e esperar que a Ucrânia, a actual segunda classificada, seja surpreendida em Andorra, última classificada e sem qualquer ponto.

Deste modo, e prevendo-se que se mantenha a actual classificação nos vários grupos, Ucrânia (25.ª da FIFA), República da Irlanda (38.ª), Bósnia-Herzegovina (46.ª) e Eslovénia (54.ª) são os adversários que em teoria vão estar no sorteio.

Os pupilos de Carlos Queiroz não foram pródigos em marcar golos (apenas 13 em nove desafios), mas um deverá bastar para garantir os três pontos, já que Malta ainda não marcou nesta fase de qualificação, tendo sofrido 22 golos e conquistado apenas um ponto, impondo um empate (0-0) caseiro à Albânia.

Mesmo a confirmada ausência de Cristiano Ronaldo afigura-se um mero pormenor, frente a uma equipa que Portugal goleou (4-0) em La Valetta, no arranque da fase de apuramento.

Numa cidade em que é conhecida a paixão dos seus adeptos pelo futebol, com destaque para o Vitória de Guimarães e selecção nacional, prevê-se que os 30 000 lugares disponíveis esgotem, variando o preço dos bilhetes entre os 10 e os 20 euros.

Com um lote de jogadores de modesta qualidade técnica, Malta é conhecida por ser uma selecção muito defensiva e que, frente a adversários mais fortes, pouco consegue contra-atacar. O problema das equipas teoricamente mais fortes costuma ser apenas marcar o primeiro golo, pois a equipa de John Buttigieg raramente consegue recuperar.

Em virtude de lesões e opções técnicas, Bosingwa, Ricardo Carvalho, Raul Meireles, Nani e Simão são os únicos cinco futebolistas que podem repetir a titularidade em relação ao desafio em Malta, no arranque da campanha.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.