José Mourinho não se mostrou decepcionado com a campanha da selecção nacional no Mundial 2010, onde a equipa de Carlos Queiroz não foi além dos oitavos-de-final.

"Sinceramente, a Selecção não foi uma desilusão para mim. Acabou em segundo no grupo. Não me parece que tenha sido um problema de maior jogar a seguir com a Espanha, que até foi campeã do Mundo, e ser eliminador. Não é um drama nem uma vergonha. Não me parece que tenha acontecido nada de anormal em termos de resultados", afirma o treinador do Real Madrid em entrevista ao Record.

No entanto, 'El Especial' faz um diagnóstico crítico para com o sentimento que rodeou a participação dos 'Navegadores' neste Mundial: "Fiquei com a sensação de que as coisas nunca estiveram muito bem. O ambiente na Selecção não era o mais propício."

Sobre o futuro de Carlos Queiroz, Mourinho antevê condições para o seleccionador continuar face aos resultados alcançados no Mundial. "Não foram assim tão negativos. Há muitas selecções que fizeram igual ou pior e os seleccionadores continuaram, sem discussão", frisa o técnico, sem deixar de se mostrar à margem das recentes polémicas com o seleccionador: "Estas coisas que têm vindo a público, que aconteceram, isso ultrapassa-me completamente. É às pessoas envolvidas que compete avaliar exactamente o que aconteceu e tomar as decisões convenientes."

No cenário de uma eventual saída de Queiroz, 'El Especial' não quer um seleccionador estrangeiro: "Sou contra treinadores estrangeiros na Selecção."

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.