A vitória por 2-0 Juventus em Cagliari, em jogo da liga italiana de futebol, ficou, esta terça-feira, marcada pelos cânticos racistas dirigidos ao francês Blaise Matuidi e ao italiano Moise Kean, o último autor do segundo golo.

Tanto Matuidi como Kean, que viria a marcar o segundo depois de um golo inaugural de Bonucci, foram alvo de cânticos similares ao barulho de um macaco, também dirigidos ao brasileiro Alex Sandro (ex-FC Porto).

Ao marcar, Kean celebrou de braços abertos virado para a bancada de onde vinham os insultos, antes de os companheiros de equipa o convencerem a voltar ao campo, enquanto Matuidi apontava para a mesma zona numa conversa com o treinador, Massimiliano Allegri.

No final da partida, o técnico da Juventus criticou o comportamento dos adeptos. "Como é habitual, há alguns imbecis, mas também há pessoas normais. Os que não são civilizados devem ser identificados com a ajuda das câmaras e não devem entrar mais nos estádios [Moise Kean] Deve evitar este tipo de celebrações, é um gesto demasiado pequeno. Temos de ter respeito pelos adversários", defendeu Allegri.

Leonardo Bonucci, por sua vez, considera que Kean teve "50 por cento" da culpa pelo que aconteceu: "Ele sabe que quando marca tem de centrar os festejos com os seus companheiros de equipa. Houve uns imbecis racistas, o Blaise [Matuidi] ouviu tudo e estava irritado. Mas penso que a culpa é 50/50 porque o Kean não devia ter feito aquilo, não devia ter ido ter com os adeptos e reagido daquela forma. Somos profissionais, temos de dar o exemplo e não provocar ninguém."

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.