Aos 42 anos, Gianluigi Buffon somou o seu 10º título de campeão e Itália pela Juventus. E seriam 12, não tivessem dois sido retirados ao clube de Turim na sequência do escândalo que ficou para a história com o nome de 'calciopoli' e que, a meio da primeira década do século, levou à retirada de dois 'scudettos' à Juve e acabou mesmo com a despromoção da 'Vechia Signora' à Serie B, segundo escalão do futebol italiano.

"Estou feliz. Era importante arrumar alguns assuntos, não deixar nada pendente. Tinha o objetivo de ganhar dez Campeonato em Itália, já que dois foram ‘roubados’», disse Buffon em declarações reproduzidas pelo 'Corriere dello Sport'.

Buffon, que regressou à Juventus esta época, depois de uma passagem de uma temporada pelo PSG, relativizou a questão de não ser ele, agora, o guarda-redes titular. "Também fico satisfeito com o recorde de jogos. Mas não foi um ano fácil. Sempre me adaptei, sou altruísta por natureza. Tive que lider com o que representei e que acho que continuo a representar. Foi um teste para mim. Estou orgulhoso porque consegui. Nunca gostei de pessoas arrogantes e isto foi um teste para mim, poder dizer que não sou ", concluiu.

Ao todo, Buffon totaliza 670 jogos no conjunto de todas as competições, onde chegou pela primeira vez em 2001, proveniente do Parma. Esta temporada tornou-se também no jogador com mais encontros disputados na Serie A, onde já leva 649 jogos.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.