A Juventus anunciou na noite desta quarta-feira, através de um comunicado no seu site oficial, que o defesa italiano Daniele Rugani está infetado com o coronavírus.

Segundo a nota do clube de Turim, o companheiro de equipa de Cristiano Ronaldo continua assintomático, mas já foram ativados os procedimentos de isolamento previstos pela lei e que incluem todos os que estiveram em contacto com o jogador.

De referir que Daniele Rugani esteve presente nos treinos da Juventus dos últimos dias e, portanto, esteve em contacto com os restantes jogadores do plantel de Maurizio Sarri.

O central internacional italiano, de 25 anos, está a cumprir a quinta temporada consecutiva nos octocampeões de Itália, sendo que esta época participou apenas em sete partidas, quatro das quais neste ano civil, diante de Udinese, Roma, Brescia e SPAL.

Já o internacional português Cristiano Ronaldo permanece na Madeira à espera de "desenvolvimentos relacionados com a atual emergência de saúde", segundo a Juventus.

Este não é o primeiro caso de um jogador de futebol infetado com o coronavírus. A 27 de fevereiro tinha sido já revelado que um jogador da terceira divisão de futebol italiano tinha testado positivo para o vírus. Mais tarde ficou a saber-se que se tratava de King Udoh do Pianese.

O mesmo aconteceu na Alemanha, onde Timo Hubers, jogador de 23 anos do Hannover 96, clube da segunda divisão alemã, foi diagnosticado com o Covid-19 esta quarta-feira.

O jogador terá contraído o vírus num evento na cidade alemã de Hildesheim no passado sábado, mas não teve qualquer contacto com os colegas de equipa.

O Governo italiano decidiu, na segunda-feira, suspender de forma temporária o campeonato italiano de futebol, devido ao avanço significativo do Covid-19 em Itália, o segundo país do mundo mais afetado pela pandemia, a seguir à China.

A decisão governamental, com efeitos imediatos, vai afetar, durante várias semanas, o campeonato italiano, que é liderado pela Juventus.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou hoje a doença Covid-19 como pandemia.

A OMS justifica a declaração de pandemia com "níveis alarmantes de propagação e inação".

A pandemia de Covid-19 foi detetada em dezembro, na China, e já provocou mais de 4.500 mortos em todo o mundo.

O número de infetados ultrapassou as 124 mil pessoas, com casos registados em 120 países e territórios, incluindo Portugal, que tem 59 casos confirmados.

Face ao avanço da pandemia, vários países têm adotado medidas excecionais, incluindo o regime de quarentena inicialmente decretado pela China na zona do surto.

A Itália é o caso mais grave depois da China, com mais de 12.000 infetados e pelo menos 827 mortos, o que levou o Governo a decretar a quarentena em todo o país.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.