O internacional português da Juventus concedeu uma entrevista mais intimista ao diário espanhol El País onde falou de vários aspectos da sua carreira, nomeadamente das elevadas expectativas que os adeptos colocam nas suas prestações.

Em declarações à revista ICON, um suplento do diário espanhol El País, Cristiano Ronaldo falou das dificuldades de jogar ao mais alto nível na última década, e como lida com a pressão diária de continuar no topo.

"Não vou negar que, por vezes, me chateia e cansa, porque parece que todos os anos tens que provar que és muito bom. É difícil", afirmou o ex-jogador do Real Madrid.

"Tens o que tens por contar com essa pressão adicional de ter que demonstrar algo às pessoas, não só a ti. Também às pessoas em teu redor. À tua família, à tua mãe, ao teu filho… ‘Cris, tens que ganhar amanhã’. Isso torna-te mais ativo. Tens sempre que treinar, mas chega um momento em que dizes ‘Ouve, deixa-me...’", acrescentou Cristiano Ronaldo.

"Vejo o futebol como uma missão: entrar em campo, vencer, tornar-me melhor. Os momentos em que entrava em campo a pensar ‘Vou driblar!’… Sou sincero, já não os tenho. Há uma pressão adicional. As pessoas estão sempre a julgar. ‘Já está acabado. Tem 33, 34 ou 35 anos, devia retirar-se’. E tu queres surpreender as pessoas: Aqui continua o bicho", frisou o internacional português da Juventus.

"Não penso que as pessoas acreditem que sou um robô, mas veem-me como uma pessoa que nunca pode ter um problema, nunca pode estar triste, nunca pode ter preocupações. As pessoas identificam o não ter problemas e o êxito com o dinheiro. Como é que o Cristiano pode estar triste ou estar em baixo de forma se tem milhões?", confessou Cristiano Ronaldo para depois falar do outro lado do futebol e das pessoas que querem vê-lo falhar.

"As pessoas não pensam como tu, não viveram certos momentos, não têm uma cultura maior da que lhes é permitida. Mas percebo. Sei que as pessoas estão com uma espingarda à espera que o Cris falhe um penálti ou que fracasse num jogo crucial. Mas faz parte da vida e devo estar preparado. Estou preparado desde há muitos anos" disse Cristiano Ronaldo.

Confrontado com a possibilidade de terminar a sua carreira no Barcelona, Cristiano Ronaldo admitiu que esse cenário será pouco provável.

"Barcelona não é para mim. Fui lá uma ou duas vezes e senti que as pessoas não gostam muito do Cristiano. Mas é normal, pela rivalidade. Não faz mal", sentenciou.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.