Em declarações ao 'Corriere della Serra', o presidente do Nápoles falou da mudança de Maurizio Sarri para a Juventus e admitiu que nunca acreditou no "amor' do treinador pelo emblema italiano.

"Maurizio é um bom treinador. Não venceu aqui e pode nem vencer em Turim. Sou a favor da liberdade, por isso respeito a sua escolha. Cada um é livre de fazer o que entender desde que assuma a responsabilidade. Nunca acreditei no amor absoluto de Sarri pelo Nápoles e o tempo deu-me razão", atirou Aurelio Di Laurentiis.

Mas, as declarações do dirigente do Nápoles não ficaram por aqui. "Acredito no casamento e estou aqui há 15 anos, embora uma parte dos adeptos me tenha tentado afastar. O mais importante é permanecer fiel à causa e amar as nossas cores. Escolhi com o coração".

"Sarri trabalha 15 horas por dia e para ele só existe o relvado. Não tem tempo para criar laços, pelo menos no local de trabalho. Em três anos aqui acho que ele nunca participou num jantar de equipa. Pensa só no trabalho de campo, na gestão dos jogadores e nos jogos. Tudo o resto é um mundo que não lhe pertence e isso pode ser bom ou mau. Agora Sarri lidera a Juventus e colocou a máquina em movimento. Entendo a deceção napolitana, visto que os adeptos vivem o futebol de forma profunda e penso que Sarri levou um pouco da sua alma", acrescentou ainda Di Laurentiis.

Recorde-se que na Juventus, Sarri sucede ao seu compatriota Massimiliano Allegri, que esteve nos últimos cinco títulos na Série A, mas falhou, uma vez mais, as ambições na Liga dos Campeões, ao ser eliminado pelo Ajax nos quartos de final.

Sarri fez toda a carreira em Itália, onde começou em 1993/94 no Craviglia, passando por equipas amadoras, como o Valderna, Sansovino, Sangiovannese, Grosseto, Alessandria e Sorrento, além de Pescara e Verona.

A partir de 2013, orientou o Empoli durante três épocas e deu o salto para o Nápoles, onde também permaneceu três anos, antes da única temporada em Inglaterra.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.