Os prejuízos causados ao futebol italiano pelos serviços de 'streaming' televisivos ilegais "ultrapassam em muito os mil milhões de euros", de acordo com Luigi De Siervo, presidente executivo da liga italiana de futebol.

No seguimento da operação policial que desmantelou o maior fornecedor televisivo de sinal pirata na Europa, que foi revelada na quarta-feira pela agência europeia Eurojust, Luigi De Siervo disse à agência Associated Press que os prejuízos para o futebol italiano atingem valores superiores aos mil milhões de euros.

O responsável revelou que cerca de 38% das pessoas que veem desporto na televisão em Itália fazem-no de forma ilegal, com recurso a serviços de 'streaming' piratas, um problema que a nova equipa de gestão da ‘Serie A’ se comprometeu a atacar.

Segundo De Siervo, a investigação pan-europeia teve origem em Itália, com a liga a auxiliar as forças de segurança numa operação em que já há um suspeito detido e 22 identificados, tendo sido desativados mais de 200 servidores informáticos na Alemanha, em França e na Holanda.

A estação televisiva Sky Italia e o serviço de 'streaming' 'online' DAZN pagam à liga cerca de mil milhões de euros por época pelos direitos domésticos de transmissão dos encontros da ‘Serie A’ (um acordo válido de 2018 a 2021), naquela que é a maior fonte de receitas dos clubes que disputam o primeiro escalão do futebol italiano, e têm perdido inúmeros subscritores devido à concorrência dos serviços de TV piratas.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.