O treinador romeno Mircea Lucescu lamenta que o português Paulo Fonseca, que em 2016 lhe sucedeu no comando técnico do Shakhtar Donetsk, não lhe tenha deixado qualquer palavra de agradecimento pela qualidade da equipa que encontrou quando assumiu o leme da formação ucraniana.

"Deixei o banco do Shakhtar para Paulo Fonseca e não escondo que fiquei chateado com ele. Nem me disse obrigado pela maravilhosa equipa que lhe deixei. Um simples telefonema teria sido suficiente", referiu Lucescu em entrevista ao jornal italiano 'Corriere dello Sport'.

Lucescu afirma mesmo que Paulo Fonseca teve de dar uma espécie de passo atrás na ideia de jogo que tentou introduzir no clube e voltar a utilizar o sistema táctico que o romeno utilizava. "Ele começou a utilizar o 4x4x2, como no Sp. Braga, mas a dada altura o presidente convenceu-o a voltar ao meu 4x2x3x1, porque a equipa sabia de cor sistema de jogo, feito especialmente para os muitos [jogadores] brasileiros", referiu.

O técnico romeno, que este 12 anos no comando do Shakhtar, conquistando oito títulos de campeão ucraniano pelo clube, apontou ainda que, ao contrário do que sucedeu durante o seu 'reinado', Paulo Fonseca, que conquistou três títulos de campeão em três temporadas no emblema de Donetsk, teve a felicidade de não perder jogadores importantes todas as temporadas. "Todos os anos o clube vendia pelo menos dois jogadores. Fizeram-no comigo, mas não com Paulo Fonseca", sublinhou.

Porém, Lucescu, que trabalhou também vários anos em Itália, ao leme de clubes como o Brescia ou o Inter de Milão, admite que Paulo Fonseca terá o que é preciso para singrar como treinador da Roma, onde chegou no início da presente temporada. "Devo, no entanto, reconhecer que Fonseca mostrou grande inteligência e capacidade de adaptação. Estou convencido que, apesar do que fez comigo, tem as capacidades necessárias para fazer bem à Roma", vaticinou.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.