O Lanerossi Vicenza Virtus, emblema da 3.ª divisão do futebol italiano, resolveu entrar para a ribalta, pelos piores motivos: o clube resolveu trocar os habituais apanha-bolas por jovens jogadoras de voleibol. As novas apanha-bolas surgiram vestidas com uns calções bem curtinhos, o que está a causar polémica em Itália.

A ideia, do proprietário e presidente do clube, foi fortemente criticada pela Associação Nacional de Atletas, que apresentou uma queixa junto da Federação Italiana de Futebol. A Associação explica que a decisão é um "indigno espectáculo de sexualização de menores".

Mas, ao que parece, a ideia do presidente do clube, Renzo Rosso era apenas "uma estratégia de marketing" para "renovar o modo de viver o jogo de futebol". É que Renzo Rosso é também proprietário do Grupo OTB, controladora da marca Diesel, a mesma marca dos calções que as raparigas usavam.

Em Itália, muitos não partilham da ideia do empresário de moda e consideram que se tratou de uma "iniciativa indecente."

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.