Cristiano Ronaldo foi herói e vilão no triunfo por 3-1 do Real Madrid na primeira mão da Supertaça de Espanha, em pleno Camp Nou frente ao Barcelona, com um golo soberbo e expulsão separados por dois minutos.

O português começou no banco do Real Madrid – Nélson Semedo não saiu do do Barcelona – e entrou aos 58 para o lugar de Benzema, ficando na história do jogo quando aos 80, em contra-ataque, ‘sentou’ Piqué e atirou em arco uma bola indefensável.

Este golo recolocava o Real Madrid na frente (1-2) e, volvidos apenas dois minutos, quando tentava isolar-se, caiu após contacto com Umtiti e pediu penalti, com o árbitro a mostrar-lhe amarelo pela segunda vez, depois da admoestação que recebeu por ter tirado a camisola nos festejos do seu tento.

Os 89.514 espetadores viram depois o português empurrar o árbitro pelas costas, gesto que, no mínimo, lhe nega a despenalização para o jogo de quarta-feira no Santiago Bernabéu, na segunda mão.

No relatório, o árbitro Burgos Bengoetxea escreveu que foi alvo de "um leve empurrão em sinal de descontentamento".

De acordo com o artigo 96 do regulamento da Federação Espanhola de Futebol, Cristiano Ronaldo poderá arrisca-se a uma suspensão que vai de quatro a 12 jogos.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.