Real Madrid e Atlético de Madrid disputam esta quarta-feira a Supertaça Europeia em Tallinn, na Estónia, atravessando momentos diferentes antes do início da temporada 2018-2019.

Os 'merengues' precisam de se adaptar a um novo ciclo sem Cristiano Ronaldo e Zinedine Zidane, que deu lugar ao ex-técnico da seleção da Espanha, Julen Lopetegui. Já os 'colchoneros' estão muito reforçados e sonham dar voos mais altos em mais uma temporada sob comando de Diego Simeone.

O ex-treinador de Espanha, demitido a dois dias do início do Mundial após ser anunciado como técnico do Real Madrid, tem a difícil missão de suceder ao tricampeão consecutivo da Liga dos Campeões, Zidane.

Além disso, Lopetegui não conta com CR7, autor de 451 golos em 438 jogos com a camisola da equipa espanhola. Nos nove anos que defendeu o Real Madrid, Ronaldo levantou quatro Ligas dos Campeões e dois Campeonatos Espanhóis, além outros títulos.

Até agora, o Real só contratou o jovem brasileiro Vinícius Jr para a posição e ainda não se sabe se o avançado ex-Flamengo vai estar no palntel principal durante a temporada. Gareth Bale, Marco Asensio e Karim Benzema dividiram a tarefa de marcar golos durante a pré-temporada.

Mudanças no Real
Diante do Atlético, que conta com Simeone no banco de suplentes desde 2011, o Real Madrid vai ter o seu principal teste para avaliar a força do grupo. Se não funcionar, a equipa tem a garantia de ainda ter pela frente duas semanas antes do fecho do mercado de transferências.

"Estamos numa final e queremos vencê-la. Para isso, preparámos-nos para jogar bem contra um grande rival, que nos vai levar ao limite, tanto física quanto emocionalmente", explicou o técnico Julen Lopetegui.

A grande novidade foi a chegada do belga Thibaut Courtois, eleito melhor guarda-redes do Campeoanto do Mundo e que põe em dúvida a titularidade de Keylor Navas.

"Tenho a certeza de quem vai jogar amanhã, mas não vos vou dizer onze", disse Lopetegui sobre quem vai defender as redes da equipa merengue.

O lateral Álvaro Odriozola também foi contratado, mas não vai jogar a Supertaça por um problema muscular.

Luka Modric, melhor jogador do Mundial, deve iniciar o jogo no banco por ter sido um dos últimos a se reapresentar após o vice-campeonato da Croácia no Mundial.

Contra o campeão da Liga dos Campeões estará o Atlético de Madrid, campeão da Liga Europa e fortemente reforçado. O objetivo 'colchonero' é chegar à final da 'Champions', que será disputada no Estádio Wanda Metropolitano, atual casa da equipa de Simeone.

O francês Thomas Lemar, o português Gerlson Martins, o croata Nikola Kalinic, o colombiano Santiago Arias e os espanhóis Antonio Adán e 'Rodri' Hernández, foram as principais contratações da equipa, que quer lutar por todos os títulos do ano.

Griezmann fica
Além de contratar nomes de destaque, o Atlético conseguiu manter no elenco Antoine Griezmann e Jan Oblak, considerados dos melhores jogadores da atualidade nas suas posições e que tiveram protagonismo durante a última janela de transferências.

Estes nomes, ao lado de Godín, Koke, Diego Costa, Saúl Ñíguez, José María Giménez, Lucas Hernández, Vitolo, Correa, Thomas Partey, Savic, Juanfran e Filipe Luis formam o melhor platel do Atlético da sua história.

"A chegada de bons jogadores indica que temos melhores individualidades, o que não quer dizer que depois teremos uma melhor equipa", indicou Simeone na conferência de imprensa desta terça-feira.

"Sem trabalho não se pode melhorar. Essa é a ideia que temos muito claramente", acrescentou o argentino.

A dúvida pode estar em como Simeone vai administrar todo este talento, já que o técnico argentino nem sempre conseguiu tirar o máximo dos seus jogadores com muita qualidade técnica individual.

Um triunfo na Estónia diante de seu maior rival daria aos 'colchoneros' um estatuto de "equipa aspirante a todos os títulos da temporada", servindo também para cicatrizar em parte as duas derrotas para o maior rival nas finais da Liga dos Campeões em 2014 e 2016.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.