É uma estreia a todos os níveis. Nunca antes o Benfica tinha participado numa edição da fase de grupos da Taça da Liga e conseguido zero vitórias. Teremos de recuar à primeira edição da prova, em 2007/2008, disputada por eliminatórias para vermos um percurso das 'águias' sem qualquer vitória.

Os 'encarnados' empataram com o Vitória de Setúbal a duas bolas, somando o terceiro empate na prova, e dizendo adeus a uma competição onde costuma ser muito feliz. Vasco Fernandes e Pedro Pinto marcaram para os 'sadinos' e Seferovic e Rúben Dias fizeram os golos 'encarnados'.

O jogo: Primeira parte de pesadelo e seis minutos de ataque relâmpago

O jogo do Benfica pode mesmo ser definido em duas partes. O conjunto 'encarnado' entrou no estádio do Bonfim e procurava despedir-se da Taça da Liga com a cabeça levantada (já não tinha hipótese de se qualificar devido aos resultados das primeiras jornadas). Rui Vitória apostou em elementos menos utilizados, como Rafa, João Carvalho ou Douglas, de forma a poupar os titulares para importante dérbi, frente ao Sporting, que se realiza na próxima semana.

No entanto, a equipa do Benfica mostrou falta de entrosamento e muitas ações irreflectidas. Samaris cometia muitas faltas e Filipe Augusto perdia bolas no seu próprio meio-campo, que davam ataques rápidos municiados por João Amaral ou Gonçalo Paciência.

No entanto, foi quando o jogo esteve numa fase mais parada que surgiram os golos, nomeadamente em lances de bola parada. Nuno Pinto acabou por ser o maestro dos passes, envolvendo-se nas jogadas que ditaram os tentos apontados pelos sadinos, primeiro num pontapé de canto que acabou em Vasco Fernandes e depois num livre que terminou no outro central, Pedro Pinto. E isto tudo contra dois... guarda-redes.

No lance do primeiro golo do Vitória de Setúbal, Svilar bateu com violência contra o poste e teve de ser rendido por Bruno Varela. Ora, na jogada a seguir, Bruno Varela saiu de forma irreflectida da baliza e acabou por permitir o segundo golo do emblema de Setúbal.

Os 'encarnados' entraram na segunda parte, motivados para mudar o rumo dos acontecimentos. E foi em dois ataques relâmpagos que acabaram por fazer os golos. Primeiro, num lance de genialidade de João Carvalho, que colocou a bola redondinha para Seferovic. E depois num cruzamento com peso e medida de Zivkovic para a entrada de rompante de Rúben Dias.

Depois dos golos, a partida desceu de velocidade, com oportunidades de lado para lado mas sem qualquer mobilização no resultado que apontava 2-2. O Benfica teve assim o último teste antes do dérbi e está tudo em aberto para a partida que ditará o encontro entre o segundo e terceiro classificado do campeonato.

O momento: golo de Seferovic

O primeiro golo do Benfica acabou por ditar a mudança de rumo do encontro, depois do Vitória de Setúbal estar confortável com uma vantagem de dois golos. A jogada de grande classe de João Carvalho para Seferovic encostar acabou por resultar numa mudança de paradigma na partida.

O melhor:

João Carvalho: O jovem jogador foi dos mais regulares da partida, acabando por fazer uma assistência e por ter alguns momentos de destaque na partida

Nuno Pinto: Acabou por estar envolvido nos dois golos do Vitória de Setúbal, ao fazer uma assistência e estar envolvido no lance que resultou no golo de Vasco Fernandes.

Vasco Fernandes: Marcou o primeiro golo do encontro e fez uma boa exibição na defesa 'sadina'

O pior:

Filipe Augusto: Foi um dos piores elementos do Benfica, ao perder muitas bolas e a realizar vários passes falhados. Tarda em afirmar-se nesta equipa 'encarnada'.

Reações:

Rui Vitória: "Sofremos dois golos que não podemos sofrer"

José Couceiro: "Resultado acaba por ser justo"

Vasco Fernandes: "Provámos que esta equipa consegue grandes coisas"

Rúben Dias: "Não conseguimos a reviravolta por acaso"

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.