Ninguém pára este SC Braga. A equipa minhota continua a somar por vitórias os jogos sob o comando de Rúben Amorim e, esta terça-feira, garantiu a passagem à final da Taça da Liga após bater o Sporting por 2-1.

Ricardo Horta adiantou os 'arsenalistas' logo aos oito minutos, tendo o Sporting igualado em cima do intervalo, por intermédio de Mathieu, aos 44'. Numa altura em que a decisão da partida parecia se encaminhar para as grandes penalidades, Paulinho cabeceou para o 2-1, aos 90', garantindo a vitória à equipa bracarense.

Rúben Amorim fez três alterações em relação à partida que venceu no Dragão, com Palhinha (impedido por estar cedido pelo Sporting), Wilson Eduardo e Trincão a darem lugar a João Novais, Ricardo Horta e Galeno. No lado do Sporting, Coates regressou à titularidade – tinha falhado o clássico devido a castigo – e relegou Tiago Ilori para a bancada, enquanto Battaglia ocupou a posição de Bolasie no meio-campo, ao lado de Doumbia – Silas optou por jogar num sistema de losango.

Os minhotos entraram melhor na partida e, depois de um primeiro aviso de Paulinho (3’), não tiveram de esperar muito tempo para chegar à vantagem: recuperação de bola do SC Braga, com Fransérgio a tocar para Ricardo Horta (8’), que atirou em arco para o fundo das redes.

A equipa de Rúben Amorim continuou a jogar com as linhas de pressão subidas, impedindo o Sporting de chegar à baliza de Matheus. A equipa leonina tentou assustar num lance de bola parada estudado aos 19’, mas a defesa bracarense estava atenta.

O primeiro remate do Sporting acabou por surgir aos 25 minutos, com Bruno Fernandes a tirar um adversário do caminho e a disparar de fora da área, mas por cima do travessão. Doumbia (33’) também tentou a sorte, na sequência de um pontapé de canto, com o remate a sair ligeiramente ao lado da baliza de Matheus.

Galeno ainda teve uma excelente oportunidade para fazer o 2-0, após uma arrancada na esquerda - remate saiu por cima -, mas acabou por ser o Sporting a chegar ao empate quando faltava um minuto para o intervalo, com Mathieu a fazer de ponta de lança: falta cobrada rapidamente por Bruno Fernandes a isolar o central francês, que atirou de pé esquerdo para o fundo das redes.

Estava tudo em aberto para a segunda parte, que arrancou com uma alteração no lado do Sporting – Bolasie entrou para o lugar de Doumbia. A equipa de Rúben Amorim voltou a entrar bem e aos 50’ Fransérgio rematou forte, mas à figura de Maximiano. Dois minutos depois, foi a vez de Battaglia testar os reflexos de Matheus, num cabeceamento que levava selo de golo, após pontapé de canto – grande defesa do guardião bracarense.

Aos 60 minutos Bolasie viu o vermelho direto, depois de Nuno Almeida recorrer ao VAR para analisar uma entrada de carrinho sobre Sequeira. O Sporting ficava reduzido a dez na pior altura, uma vez que o SC Braga procurava cada vez mais ‘sufocar’ a equipa leonina – destaque para mais uma arrancada de Galeno aos 64’, a tirar Ristovski do caminho e a rematar cruzado por cima.

A pressão minhota levou mesmo Silas a trocar um homem da frente por um central – Luís Neto rendeu Luiz Phellype – na esperança de segurar o empate até ao apito final, mas o SC Braga conseguiu chegar ao golo ao minuto 90, através de Paulinho, que volta a marcar a um grande apenas quatro dias depois de ter 'gelado' o Dragão: Ricardo Esgaio colocou a bola no segundo poste, onde apareceu Raúl Silva a devolver a bola para o lado oposto da pequena área; aí Paulinho antecipou-se a Mathieu e fez o 2-1 final, garantindo a passagem do SC Braga à final da Taça da Liga.

O encontro ficou manchado nos instantes finais por uma altercação entre jogadores, depois da expulsão de Mathieu (90+4), tendo ainda sido expulsos o guarda-redes do SC Braga Eduardo e o jogador 'leonino' Eduardo, que se encontravam no banco das suas equipas.

Na final, agendada para sábado, o SC Braga vai defrontar o vencedor da segunda meia-final, que opõe na quinta-feira o Vitória de Guimarães ao FC Porto.

Veja o resumo do jogo

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.