A precisar de vencer o Gil Vicente para garantir o apuramento para a ‘final four’ da Taça da Liga, o Rio Ave teve um golo anulado a seis minutos do fim.

Nuno Santos cruzou para a área, Denis caiu sem que nenhum adversário lhe tivesse tocado e Piazón rematou para o fundo da baliza, com o árbitro a apitar antes de a bola entrar na baliza da formação de Barcelos.

Recorde-se que na fase de grupos da Taça da Liga não há VAR.

Veja o lance

O Gil Vicente acabaria por marcar de grande penalidade aos 90+5', resultado que, aliado à vitória do Sporting em Portimão, permitiu aos 'leões' qualificarem-se para a 'final four'.

No final da partida, Carlos Carvalhal revelou que ia pedir a demissão do comando técnico do Rio Ave.

"Sou uma pessoa séria e coerente, vou pedir uma reunião com o presidente e vou pedir a minha demissão. Isto não é o meu futebol, o meu futebol, o meu jogo. A decisão é de hoje. Ando a trabalhar arduamente para conseguir resultados para o Rio Ave. A minha pergunta é o quê que eu estou aqui a fazer? Não estou aqui a fazer nada. Eu não quero isto para a minha vida. Isto não é a quente, é aquilo que eu acho. Se eu estou a trabalhar para ter objetivos e não consigo, porque não consigo controlar, eu não ando aqui a fazer nada. Mais uma vez, eu não falo de arbitragens. Andamos a mentir uns aos outros, é o VAR, é não sei o quê, então eu tenho o direito de não querer isto. Não preciso de ganhar dinheiro assim", disse o treinador em declarações à SportTV.

O Rio Ave, que dependia de si para estar na ‘final four’ da Taça da Liga, acabou no segundo lugar do grupo C, com os mesmos quatro pontos do Portimonense, enquanto o Sporting, que partia em posição mais difícil, acabou por se apurar.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.