Depois do 'terramoto' que 'varreu' Alcochete há precisamente um ano, destroçando animicamente o plantel Sporting, que se arrastou, em termos mentais, pelo Jamor, impotente para evitar a festa do Desportivo das Aves na final da Taça de Portugal, os 'leões' redimiram-se, num jogo onde o destino voltou a ser cruel para o FC Porto. Os 'dragões' foram melhores, dominaram, criaram as melhores oportunidades, mas voltaram a cair nos penáltis, algo que acontece há sete jogos seguidos. O Sporting, que tanto desejava os penáltis, voltou a ser mais forte mentalmente e ficar com o troféu. No Jamor, desta feita a festa foi verde e branca. Segundo título de Keizer esta época, sempre às custas do FC Porto de Conceição. Depois do 2-2 nos 120 minutos, os 'leões' venceram por 4-3 nas grandes penalidades.

Veja as melhores imagens do jogo

O Jogo: Dragão superior, Leão feliz

Mas quantas vidas tem este Sporting? Que felino é este que consegue sempre escapar ao destino e sai a 'sorrir' no final? Em apenas dois anos, o Sporting defrontou o FC Porto em quatro encontros decididos a partir da marca das grandes penalidades. E em todos, o Sporting venceu. Se estendermos esta análise ao técnico Sérgio Conceição, as contas sobem para cinco os encontros de uma verdadeira maldição do treinador natural de Coimbra frente aos 'leões': Sérgio domina, não marca e acaba por ser 'ferido' nos penáltis

Desengane-se quem pensa que é uma lotaria. É uma mistura de técnica com controle emocional. E, nesse aspeto, mais que a técnica, tem faltado um melhor controle da mente sobre o físico por parte do FC Porto quando os jogos são resolvidos a partir da marca dos 11 metros.

Se nos quatro encontros anteriores entre o Sporting e Conceição decididos nos penáltis, os 'leões' tinham conseguido evitar a eliminação com golos nos derradeiros minutos em três deles (Montero e Slimani, aos 84 e 92, na final da Taça de Portugal entre Braga e Sporting em 2014/2015; Coates aos 85, na meia-final da Taça de Portugal em 2017/2018; Bas Dost aos 92 minutos, na final da Taça da Liga 2018/2019), desta vez a história foi diferente e foi o FC Porto a atirar o jogo para o desempate a partir da marca dos 11 metros, evitando a derrota dos azuis-e-brancos aos 120 minutos.

No Jamor, numa verdadeira festa do futebol, com muito fair-play, o FC Porto de Conceição voltou a ser superior mas, tal como nos quatro jogos anteriores em que perdeu para o Sporting nos penáltis, voltou a falhar no último terço e também na finalização. Otávio viu Renan negar-lhe o golo, num período onde o Sporting até estava por cima. Bruno Fernandes, Raphinha e Luiz Phellype quase marcaram nos primeiros 20 minutos.

Da ameaça leonina, ao golo dos 'dragões'. O tento de Soares aos 40 minutos (depois de um golo anulado a Marega por fora-de-jogo) podia dar tranquilidade à equipa e obrigar o Sporting a arriscar mais. Só que o 'bombardeiro' da Maia tinha outros planos: perda de bola de Otávio, Acuña descobre Bruno Fernandes em zona frontal que remata de pronto. Danilo traiu Vaná, o titular na baliza portista, e empatou aos 45.

Com a entrada forte do FC Porto no segundo tempo, com muito jogo canalizado na esquerda, direita da defensiva leonina, Keizer trocou Bruno Gaspar por Ilori para tentar estancar o ataque portista desse lado. Só dava FC Porto no segundo tempo, com os postes a ajudarem Renan em duas ocasiões.E quando não eram os postes, era o guarda-redes brasileiro a exibir-se a grande altura, com defesas fantásticas.

No jogo dos bancos, Keizer lançou Bas Dost no posto de Diaby para fazer dupla com Luiz Phellype, tentando explorar o jogo direto. Mais tarde fez entrar Doumbia no lugar de Gudelj e Jefferson no posto de Wendel no prolongamento. Conceição jogou todo o segundo tempo em 4-4-2 e passou para um 3-4-3, com as saídas de Militão, Alex Telles, Marega e Otávio, fazendo entrar Manafá, Hernâni, Adrian Lopez e Fernando Andrade, já depois de Bas Dost ter castigado um erro de Felipe (corte defeituoso a deixar a bola no holandês) para fazer o 2-1 aos 101. Felipe haveria de redimir-se aos 120, finalizando de cabeça um passe de Adrian López.

Nos penáltis, o FC Porto voltou a tremer e não soube aproveitar a vantagem logo a partida, com o falhanço de Bas Dost no primeiro penálti. Pepe atirou à barra, Fernando Andrade permitiu a defesa a Renan. Os 'leões' venceram o seu sétimo jogo seguido nos penáltis, já o FC Porto foi derrotado pela sexta vez consecutiva em jogos decididos a partir da marca dos onze metros. Esta foi também a sexta final consecutiva ganha pelo Sporting ao FC Porto, entre Supertaça, Taça da Liga e Taça de Portugal. Os 'leões' passam a ter 17 Taças de Portugal, mais uma que os 'dragões'.

Momento-chave: golo de Bas Dost deu ânimo e enervou FC Porto

Um erro de Filipe permitiu a Bas Dost colocar o Sporting na frente do marcador aos 101 minutos, numa altura em que o FC Porto dominava como nunca e o Sporting raramente aproximava-se da área de Vaná. Os 'leões' ganharam mais ânimo na defesa da vantagem, os 'dragões' ficaram mais nervosos.

Polémicas: Jorge Sousa com muito trabalho

Anulou um golo a Marega, com recurso ao vídeo-árbitro. Os sportinguistas pediram mão de Herrera no golo de Soares mas, após consulta do VAR, nada assinalou. Mesma postura teve no 1-1 do Sporting, no desvio de Danilo, com os portistas a pedirem fora-de-jogo de Luiz Phellype.

O lance mais polémico terá sido o cartão amarelo a Coates nos descontos da segunda parte, que cortou com a mão uma bola que ia deixar Soares isolado. A proximidade de Mathieu terá pesado na decisão de não mostrar vermelho direto.

Os Melhores: Mathieu e Renan deram vidas ao 'leão, Soares merecia mais

Mathieu foi o Melhor em Campo. Ganhou quase todos os duelos com Marega, o que não é fácil, e ainda teve tempo para dobrar os colegas. Um verdadeiro muro. Na baliza brilhou Renan, com defesas fantásticas, como a que negou o golo a Otávio. Nos penáltis, defendeu o remate de Fernando Andrade.

Soares marcou um dos golos do FC Porto e atirou ao poste. Foi dos melhores dos azuis-e-brancos, quer na área, quer a partir do corredor direito.
Destaque ainda para o fair-play entre os adeptos. Conceição foi muito aplaudido e confortado por adeptos do Sporting quando subiu à Tribuna do Jamor.

Os Piores: não era essa a despedida idealizada por Brahimi e Felipe

Brahimi termina contrato e está de saída, Felipe deverá ser vendido ao Atlético Madrid. Os dois despediram-se dos adeptos com exibições cinzentas. O central até redimiu-se, atirando o jogo para os penáltis, mas falhou no 2-1 de Bas Dost, fez vários passes errados e falhou nos timings de entrada demasiadas vezes, sendo batido em muitas ocasiões pelos jogadores do Sporting.
Esperava-se mais de Brahimi mas as últimas exibições do argelino foram demasiadas cinzentas. Raramente desequilibrou como se esperava.
Bruno Gaspar terá sido dos piores do Sporting. Foi quase sempre batido no um-contra-um e pouco ajudou no ataque. Keizer retirou-o aos 65 minutos.

Reações

Bruno Fernandes: “Se ficar no Sporting tudo vou fazer para dar esse tão desejado campeonato”

Keizer: “Já tenho uma pequena ideia do que é o Jamor”

Varandas: “Não se ganhou apenas uma taça, foi muito mais do que isso”

Varandas e o episódio com Sérgio Conceição: “Não percebi, o barulho dos festejos estava demasiado alto…”

Luiz Phellype: “Desportivamente, este ano foi o mais incrível da minha vida”

Renan não esquece Nélson: “É chato para caramba, mas que continue assim”

Wendel: “Agora sou obrigado a tirar a carta”

Sérgio Conceição: “A injustiça e a crueldade estiveram hoje no ponto máximo”

Sérgio Conceição: “Estas derrotas custam muito”

Danilo Pereira: “É sempre difícil perder assim”

Veja o resumo do jogo

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.