Sérgio Conceição, treinador do FC Porto, deu uma entrevista à RTP, canal que vai transmitir no próximo sábado, às 20h45, a final da Taça de Portugal, onde abordou vários temas, tais como a mentalidade da equipa após ser campeã, a vantagem estratégica após dois clássicos e a chegada de Jesus.

A Taça depois do campeonato: "Continuo a dizer que o FC Porto demonstrou no campeonato ser a equipa mais competitiva e por isso é que o ganhou. Agora temos de demonstrar essa competitividade na final e darmos continuidade ao que fizemos em muitos momentos da época. Fomos a equipa mais regular e competitiva no campeonato, fomos de facto, agora vamos disputar a final da Taça de Portugal, que é um jogo diferente."

Vantagem estratégica após dois clássicos: "Não, até pelo conhecimento que as equipas hoje têm umas das outras. O Veríssimo era adjunto do Bruno Lage, as ideias estão lá, os princípios estão lá, os jogadores praticamente são os mesmos, a dinâmica de jogo pode, num ou noutro momento, ter mudado um pouco, mas a grande base daquilo que são as ideias-fortes do Benfica continuam a ser as mesmas. Depois, depende da preparação do jogo, o estado anímico para uma final, são todos os ingredientes que nós tivemos no ano passado, mas infelizmente faltou um bocadinho de sorte e de competência também na decisão dos penáltis, mas durante os 120 minutos fomos uma equipa muito competente. "

Efeito Jorge Jesus no Benfica: "Não faço a mínima ideia, não estou interessado em saber o que pode ou não dar força anímica ao Benfica. Não sou eu que falo do Jorge Jesus nem tenho que falar e tenho de respeitar ao máximo aquele que é neste momento o treinador do Benfica, que é o Veríssimo e respeitar a equipa do Benfica. Neste momento o Benfica tem um treinador oficial e não era elegante da minha parte falar de outro treinador que não fosse o atual."

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.