A seleção portuguesa de futebol de sub-20 necessita apenas de um empate para garantir a final do Torneio de Toulon, mas Rafael Floro afirmou hoje que quer somar quinta-feira mais uma vitória na prova.
“Temos feito um bom torneio e demonstrámos que somos uma equipa sólida. Defendemos bem e saímos sempre no contra-ataque, aproveitando os jogadores rápidos que temos na frente”, disse Rafael Floro ao sítio da Federação Portuguesa de Futebol (FPF).
A seleção portuguesa lidera o grupo A, contando por vitórias os três jogos realizados frente ao México (2-0), Chile (3-1) e China (4-1), que lhe conferem um total de nove pontos, com nove golos marcados e apenas dois sofridos.
“Somos uma equipa organizada, talvez a mais bem organizada do torneio”, acrescentou Rafael Floro, na antevisão do jogo de quinta-feira com a França, segunda classificada do grupo, pelas 18:30, no Estádio Lèo Lagrange, em Toulon.
Este encontro é decisivo para a seleção francesa que, com menos dois pontos na classificação, precisa de ganhar a Portugal para chegar à final da competição.
“Nós estamos muito unidos e convictos que vamos conseguir a vitória. Vamos manter a mesma atitude: jogar sólidos, bem fechados e sair a jogar o nosso futebol. Não vamos procurar o empate apesar desse resultado servir os nossos objetivos. Portugal joga sempre para ganhar”, adiantou.
A seleção portuguesa é também a equipa mais goleadora e tem em Hélder Costa o melhor marcador da prova, com três golos.
“Somos a equipa mais concretizadora porque aproveitamos a qualidade individual dos nossos jogadores mais avançados. Aliás, toda a seleção tem qualidade, é formada por grandes jogadores”, explica.
Do ponto de vista pessoal, Rafael Floro traça um balanço positivo da sua atuação em Toulon, onde é um das referências da equipa e titular nos dois primeiros jogos.
“Individualmente, sinto-me satisfeito com a minha prestação. Não tenho muitas internacionalizações [4] e já há algum tempo que não vinha à seleção, mas sinto que, à medida que o tempo passa, estou mais tranquilo e a jogar o futebol que sei”, disse.
Rafael Floro acrescenta que tinha o sonho de vestir a camisola nacional deste pequeno, “mas só quem está por dentro é que sabe. “Ouvir o hino e o apoio dos portugueses é inesquecível”.
Jogador com passagens nos escalões mais jovens do Sporting, Académica, Louletano e FC Porto, Rafael Floro destaca, no entanto, a carreira, como juvenil, no Inter de Almancil.
“Foi lá que me tornei o jogador que sou hoje. Gostava de agradecer ao treinador Bruno Saraiva porque se não fosse ele não estava aqui. Ele mostrou-me o valor do trabalho, da garra e da atitude”, refere.
Agora jogador do Sheffield Wednesday, da segunda liga inglesa, Floro sente a evolução na sua carreira.
“É um futebol diferente, mais agressivo e mais direto. A técnica que temos em Portugal, de uma maneira geral, ajuda-me a sobressair. O técnico já me disse no final da época que este ano vai ser o da explosão”, concluiu.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.