Kylian Mbappé, Simone Biles, Luka Doncic, Alexander Zverev, Jelena Ostapenko, Noah Lyles, Katie Ledecky e Juan Miguel Echevarría prometem dominar o mundo do desporto nos próximos anos. Nascidos entre 1997 e 1999, a geração Mbappé, como lhe chamou o jornal 'Marca' vai dando cartas no mundo do desporto, apesar da juventude.

De todos, Kylian Mbappé é aquele de quem mais se fala por estes dias. O avançado acaba de ajudar a França a sagrar-se campeão do Mundo na Rússia, onde foi eleito o Melhor Jogador Jovem do torneio. Mbappé destronou Pelé como o mais jovem de sempre a marcar na final de um Mundial de futebol, ele que marcou o último dos quatro golos gauleses na vitória por 4-2 sobre a Ucrânia.

Quando a França venceu a prova pela primeira vez, no Mundial que organizou, Mbappé ainda era um projeto. "Não era nascido em 1998, logo nunca vi a festa dos adeptos nos Campos Elísios", disse, antes de viajar para a Rússia.

Aos 19 anos, Mbappé deixa o Mundial 2014 com quatro golos e tem tudo bem encaminhada para concorrer à Bola de Ouro num futuro próximo. Com apenas 18 anos, conquistou o Mundo pela sua velocidade e capacidade em romper por entre as defesas contrárias, principalmente na Liga dos Campeões de 2016/2017, onde ajudou o Mónaco a chegar até as meias-finais da prova, depois de eliminar o poderosíssimo Manchester City nos 'quartos'. Foi também crucial no título de campeão dos monegascos em 2016/2017, orientado por Leonardo Jardim, frente ao super favorito Paris Saint-Germain.

Terminou o ano de 2017 com 31 golos em 55 jogos entre clube e seleções francesas, sendo que 26 dos tentos foram feitos com a camisola monegasca em 44 partidas. Os seus seis golos em nove jogos na Champions ajudaram o poderoso PSG a pagar 180 milhões de euros ao mónaco para garantir um dos jogadores mais cobiçados do ano. Os 27 golos em 57 partidas na época 2017/2018 nos parisienses confirmaram a aposta num talento que não se via há muito em França.

Os números fazem de Mbappé o líder da geração de talentos precoces, nascidos entre 1997 e 1999, antes do novo milénio.

Luka Doncic (19 anos), basquetebol

Luka Doncic, jogador de basquetebol do Real Madrid
Luka Doncic, jogador de basquetebol do Real Madrid créditos: AFP

Com apenas 19 anos, Luka Doncic é uma das estrelas emergentes do basquetebol mundial. Nascido a 28 de fevereiro de 1999, o esloveno foi considerado o MVP da Euroliga da última época, ganha pelo Real Madrid.

Estreou-se na principal liga espanhola de basquetebol pelos merengues com apenas 16 anos. Conhecido com 'The Wonder Boy' ou 'Poterbin' o base esloveno ingressou na NBA onde foi selecionado pelo Atlanta Hawks como a terceira escolha do draft. No mesmo dia foi trocado com o Dallas Mavericks, pela quinta escolha, durante o draft realizado em Nova York.

Em Espanha tornou-se no jogador mais jovem da história a jogar pelo Real Madrid, e o terceiro mais jovem na Liga ACB, depois de Ricky Rubio (14 anos e 11 meses) e Ángel Rebolo (15 e 3 meses). Na época 2017/2018 foi eleito MVP da principal Liga Espanhola.

Simone Biles (21 anos), ginástica

Simone Biles, 19 anos (ginástica)
Simone Biles, 19 anos (ginástica)

A pequena norte-americana deixou o mundo de boca aberta com as suas performances durante os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro em 2016, onde venceu quatro medalhas de ouro e uma de bronze, com apenas 19 anos, igualando assim o recorde de títulos numa só edição dos Jogos, que era partilhado pela soviética Larissa Latynina (1956), a checoslovaca Vera Caslavska e a romena Ecaterina Szabo (1984).

Antes de chegar aos Jogos Olímpicos de 2016, tinha-se tornado na primeira tricampeã do Mundo da história da ginástica, a primeira afro-americana a obter um título mundial. Chegou ao Rio de Janeiro com 14 medalhas nos anteriores três anos, 10 delas de ouro.  Biles já é vista como uma das melhores ginastas de todos os tempos, e este vídeo com uma das suas atuações assim o comprova.

Integrou a lista da Times, em 2018, para as 100 personalidades mais influentes do Mundo, numa lista com apenas seis desportivas. É a ginasta mais medalhada da história dos EUAS em mundiais.

Katie Ledecky (21 anos), natação

Katie Ledecky, nadadora norte-americana
Katie Ledecky, nadadora norte-americana créditos: AFP

Com apenas 19 anos, Katie Ledecky deixou o Rio de Janeiro com quatro medalhas de ouro nos Jogos Olímpicos. Com Michael Phelps a retirar-se, Ledecky tornou-se na nova coqueluche da natação norte-americana, com vários títulos e recordes.

Um ano depois das quatro medalhas de ouro nos Jogos Olímpicos, Ledecky conquistou cinco títulos no Mundial de Budapeste em 2017.

Apesar dos dez títulos mundiais e três recordes (400, 800 e 1.500 m livre), Ledecky era uma estudante da universidade de Stanford, na Califórnia, e devia respeitar as normas da NCAA, que regula o desporto universitário nos Estados Unidos, proibindo alunos-atletas de receberem dinheiro de patrocínio. Mas aos 21 anos, tornou-se, finalmente, profissional, pelo que agora já pode assinar contratos de patrocínio, já a pensar nos Jogos Olímpicos de Tóquio2020.

Esteve nomeada para prémio de Melhor Desportista Feminina, nos Laureus 2018, mas perdeu para a compatriota, Serena Williams, do ténis.

Alexander Zverev (21 anos), ténis

Alexander Zverev, tenista alemão de 21 anos
Alexander Zverev, tenista alemão de 21 anos créditos: AFP

Alexander Zverev é o caso típico de 'Filho de peixe sabe nadar'. Filho de antigos tenistas da União Soviética, Zverev nasceu na Alemanha a 20 de abril de 1997. Atualmente ocupa o terceiro lugar do ranking ATP.

O seu treinador é o seu pai, também ele Alexander Zverev, foi tenista profissional, tal como a mãe, agora treinadora. Com apenas 15 anos, venceu o Future dos EUA, tendo dominado o ranking juvenil durante anos.

Profissional desde 2013, Zverev conta com sete títulos no currículo. Em 2014, tornou-se no primeiro tenista de 17 anos a chegar à semifinal de um torneio de nível ATP desde 2006, quando o croata Marin Cilic alcançou a mesma fase no ATP de Gstaad. No ATP 500 de Hamburgo, derrotou o holandês Robin Haase, o russo Mikhail Youzhny, 5.º cabeça de série, e o colombiano Santiago Giraldo, 11º favorito ao título. Uma campanha até as meias-finais que o permitiu dar um grande salto no ranking mundial, tendo passado do número 285 do mundo na semana anterior ao torneio para o 161º lugar do ranking ATP.

Jelena Ostapenko (21 anos), ténis

Jelena Ostapenko, tenista letã
Jelena Ostapenko, tenista letã créditos: AFP

Em 2017, Jelena Ostapenko tornou-se na primeira pessoa da Letónia a vencer um torneio do Grand Slam. Nesse ano, fez história ao ganhar o Roland Garros, com apenas 19 anos.

No torneio francês onde nem era cabeça de série, Ostapenko venceu a norte-americana Louisa Chirico por 4-6, 6-3 e 6-2 na 1ª rodada, a porto-riquenha Monica Puig por 6-3 e 6-2 na 2ª, a ucraniana Lesia Tsurenko por 6-1 e 6-4 na 3ª, a australiana Samantha Stosur por 2-6, 6-2 e 6-4 nos oitavos-de-final e a dinamarquesa Caroline Wozniacki por 4-6, 6-2 e 6-2 nos 'quartos'. Nas meias-finais, dia em que completou 20 anos (tal como a adversária), bateu a suíça Timea Bacsinszky, que completava 28 anos, por 7-6, 3-6 e 6-3. Na final venceu a favorita Simona Halep, da Roménia, então 4ª do ranking mundial com os parciais de 4-6, 6-4 e 6-3.

Curioso o facto de ter conquistado o primeiro título da WTA na terra batida do torneio francês.

Noah Lyles (21 anos), atletismo

Noah Lyles, velocista norte-americano
Noah Lyles, velocista norte-americano créditos: AFP

Em maio de 2018, com apenas 20 anos, o velocista norte-americano correu a prova dos 200 metros no Meeting de Lausane em apenas 19.69 segundos, fazendo a melhor marca mundial do ano. Nem Usain Bolt, conseguiu correr a distância tão rápida, com a mesma idade.

Os 9.88 nos 100 metros é a sua melhor marca, ele que é visto como a nova esperança do atletismo norte-americano. É também o recordista mundial em pista coberta, com 31.87, resultado alcançado em 2017 nos campeonatos dos EUA. É também campeão Mundial júnior nos 100 metros e nos 4x100 metros.

Tornou-se profissional em 2016.

Juan Miguel Echevarría (19 anos), atletismo

Juan Miguel Echevarría, atleta cubano do salto em cumprimento
Juan Miguel Echevarría, atleta cubano do salto em cumprimento créditos: AFP

Em março de 2018, Juan Miguel Echevarría tornou-se no mais jovem campeão mundial 'indoor' de sempre no salto em cumprimento. O jovem cubano, com 19 anos apenas, saltou 8 metros e 46 centímetros, nos mondais que se realizaram em Birmingham, Inglaterra.

A sua melhor marca no salto em cumprimento é de 8 metros e 68 centímetros, alcançado em Bad Langensalza na Alemanha em 2018. Em junho de 2018 saltou 8.83 metros em Estocolmo, mas com o vento a favor de +2.1 m/s (a marca não pode ser reconhecida). Essa marca dar-lhe-ia o recorde nacional de Cuba, fixado em 8.71 metros.

O jovem Echevarría vem confirmar o talento da escola cubana nos saltos e, aos 19 anos, promete dominar a modalidade nos próximos anos.

Egan Bernal (21 anos), ciclismo

Egan Bernal, ciclista da Sky
Egan Bernal, ciclista da Sky créditos: AFP

O campeão do Tour do Futuro em 2017 deu o salto para a elite e já ganhou etapas no World Tour. Foi contratado pela Sky para ser o escudeiro de Chris Froome na Volta a França.

O colombiano de 21 anos é um dos principais talentos do ciclismo mundial.

Este ano já vence a Volta a Califória, nos EUA.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.