Mercado de milhões

No que ao mundo do futebol diz respeito, o mês de agosto fica marcado, como vem sendo habitual, pela contagem decrescente para o fecho do mercado de transferências – a 31 de agosto - e pelo arranque da nova temporada em muitos países. E no que toca ao primeiro, este foi um mês... escaldante. No dia 3, oficializava-se a transferência mais cara da história do desporto-rei. Neymar deixou o Barcelona para rumar ao Paris Saint-Germain a troco de 222 milhões de euros.

Mercado de 'loucos' na Europa. Confira as 20 contratações mais caras do defeso
Mercado de 'loucos' na Europa. Confira as 20 contratações mais caras do defeso
Ver artigo

Kylian Mbappé foi outro dos negócios do mês (e do defeso). O avançado do Mónaco chegou ao PSG no último dia do fecho do mercado, a título de empréstimo, mas o clube parisiense acordou o pagamento de 180 milhões de euros ao Mónaco na próxima temporada. A fechar o pódio das transferências mais caras está Ousmane Dembélé, contratado ao Borussia Dortmund pelo Barcelona por 105 milhões de euros.

Benfica foi o que mais ganhou, FC Porto o que menos contratou, Sporting o que mais gastou
Benfica foi o que mais ganhou, FC Porto o que menos contratou, Sporting o que mais gastou
Ver artigo

Em Portugal, o destaque vai para a polémica transferência de Adrien Silva para o Leicester City. Um atraso de 14 segundos levou a FIFA a rejeitar a inscrição do ex-Sporting nos ‘foxes’, tendo o português ficado impedido de jogar até 2018. No Benfica, o destaque vai para a venda de Kostas Mitroglou ao Marselha por 15 milhões de euros, e para o empréstimo de Carrillo ao Watford de Marco Silva. Os ‘encarnados’ receberam, por sua vez, Douglas e Gabriel Barbosa, ambos no último dia de agosto. Para o FC Porto, o ‘grande’ que menos contratou neste defeso, a grande conquista foi a permanência da dupla Aboubakar/Marega.

Supertaças, videoárbitro e algumas polémicas

Agosto marca também a abertura oficial da época para grande parte dos países. Em Portugal, no dia 5, o Benfica conquista pela sétima vez a Supertaça Cândido de Oliveira, ao vencer o Vitória de Guimarães, por 3-1, num encontro disputado no Estádio Municipal de Aveiro. Um dia depois, arrancava o campeonato português (Aves-Sporting marcou o pontapé de saída), com uma novidade, que tem feito correr muita tinta: o videoárbitro.

Luisão, capitão do Benfica, ergue a Supertaça

Ao final do mês, com quatro jornadas disputadas, Sporting e FC Porto partilhavam a liderança do campeonato, seguidos de Benfica e Rio Ave, precisamente o responsável pelo primeiro ‘tropeção’ dos tetracampeões na prova [hiperligação, crónica do jogo].

Também em agosto, a equipa de Jorge Jesus confirmava a presença na fase de grupos da Liga dos Campeões, depois de eliminar o Steaua Bucareste no play-off de apuramento (0-0 em Alvalade, 5-1 na Roménia), juntando-se a Benfica e FC Porto, que haviam garantido a qualificação direta. Quem também assegurou a passagem à fase de grupos mas da Liga Europa foi o SC Braga, ao bater os islandeses do FH Hafnarfjordur (vitória por 2-1 na Islândia e por 3-2 em casa). Já o Marítimo não teve a mesma sorte e ficou pelo caminho, ao perder com o Dínamo de Kiev.

Lá fora, o Real Madrid vencia o Manchester United, de José Mourinho, por 2-1, e conquistava a Supertaça Europeia de futebol pela terceira vez em quatro anos. Os ‘merengues’ voltariam a conquistar novo troféu em agosto, com a vitória na final da Supertaça espanhola, frente ao Barcelona (3-1 na primeira mão, 2-0 na segunda). O encontro da primeira mão, de resto, ficou marcado pela expulsão de Cristiano Ronaldo, e consequente castigo de cinco jogos – um pelo segundo amarelo e quatro por ter empurrado "ligeiramente" o árbitro da partida.

O adeus do eterno adolescente que virou lenda dos 'Três Leões'
O adeus do eterno adolescente que virou lenda dos 'Três Leões'
Ver artigo

Apesar do início de época atípico, o internacional português ainda encontraria motivos para sorrir este mês, ao ser eleito o melhor jogador da Champions de 2016/17, época em que conquistou pela segunda vez consecutiva a Liga dos Campeões e a Liga espanhola, ao serviço do Real Madrid. Em sentido inverso, Wayne Rooney, o segundo futebolista inglês mais internacional e o primeiro na lista de quem mais golos marcou pela Inglaterra, anunciava, aos 31 anos, a retirada da seleção.

E como o futebol não é só coisa de homens, destaque ainda para a vitória da seleção holandesa na final do Europeu de futebol feminino, pela primeira vez na sua história, após bater por 4-2 a Dinamarca. A prova, recorde-se, marcou a estreia de Portugal em fases finais.

Um ano marcante também nas outras modalidades

Passando agora para o capítulo das modalidades, em pleno mês de Mundiais de atletismo, são vários os destaques a apontar. Começando por Nélson Évora, que no dia 10 conquistou a medalha de bronze no triplo salto, apenas atrás dos 'inalcançáveis' norte-americanos Christian Taylor e Will Claye. Não seria, contudo, o único português, a brilhar em Londres. Três dias depois, Inês Henriques conquistava a medalha de ouro nos 50 quilómetros marcha femininos – uma estreia na competição, juntando ao troféu o novo recorde do mundo, que já lhe pertencia.

Inês Henriques sagrou-se campeã mundial dos 50 km marcha em Londres créditos: Daniel LEAL-OLIVAS / AFP

Para a posteridade fica também a despedida (inglória) de Usain Bolt do atletismo – terceiro na final dos 100 metros, numa corrida ganha pelo norte-americano Justin Gatlin, e depois a sair lesionado da final dos 4x100m, a sua última corrida, que a Jamaica não terminou. Mo Farah (outro adeus, ainda que menos icónico e definitivo que o de Bolt) sagrou-se tricampeão do mundo dos 10.000 metros mas ficou em segundo lugar na final de 5000 metros, suplantado pelo etíope Muktar Edris.

Usain Bolt caiu na última corrida da carreira créditos: AFP or licensors

Agosto, de resto, ficou marcado por várias conquistas lusas. Fernando Pimenta sagrou-se campeão do mundo de K1 5.000 metros, em Racice, na República Checa, apenas um dia depois da medalha de prata em K1 1.000; Tiago Ferreira foi campeão europeu de maratona BTT (XCM), numa prova disputada em Svit, Eslováquia; e Pedro Sousa conquistou o segundo título 'challenger', em Liberec, ao vencer na final do torneio checo de ténis o brasileiro Guilherme Clezar, por 6-4, 5-7 e 6-2.

Raúl Alarcón , ciclista espanhol da W52-FC Porto, venceu pela primeira vez a Volta a Portugal em bicicleta, depois de terminar em segundo a décima e última etapa, um contrarrelógio em Viseu, ganho pelo compatriota e colega Gustavo Veloso. O português Amaro Antunes, também da W-52-FC Porto, e o espanhol Vicente García de Mateos (Louletano-Hospital de Loulé), foram segundo e terceiro classificados, respetivamente.

Raúl Alarcón celebra com Gustavo Veloso créditos: LUSA

A nível de modalidades de pavilhão, destaque para a vitória do ABC, detentor da Taça de Portugal de andebol, na Supertaça, ao vencer o campeão nacional Sporting, por 26-21, em encontro que decorreu no Pavilhão Municipal da Mêda, distrito da Guarda.

O mês de agosto terminou com um dos duelos mais antecipados dos últimos tempos. Floyd Mayweather regressou aos ringues de boxe com uma vitória por “knockout” técnico contra Conor McGregor, lutador de MMA, em Las Vegas, num combate que moveu milhões.

Reveja todos os temas mais importantes de 2017 na Revista do Ano preparada pela equipa do SAPO Desporto

Revista do Ano 2017

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.