Há 23 anos, na Coreia do Sul, a Alemanha "batizou" Angola em mundiais seniores femininos de andebol e no Brasil2011 voltaram a defrontar-se, com vitória (25-22) das campeãs africanas. Em 2007, o "sete" angolano foi eliminado nos quartos-de-final e domingo (17h30), em Novi Sad, pode ser o dia da "desforra".
Em sete disputas diretas em campeonatos do mundo, as angolanas averbaram cinco derrotas, um empate e uma vitória. Na memória ainda está vivo o equilíbrio registado em França2007, quando sob orientação de Jerónimo Neto as campeãs africanas foram eliminadas nos “quartos”.
Agora em condições adversas, em face das limitações físicas da equipa treinada por Vivaldo Eduardo, só mesmo uma inspiração extraordinária conseguirá realizar o sonho de Angola e arrancar a segunda vitória sobre a Alemanha em mundiais.
Na estreia, o “sete” angolano em 1990, em Seoul (Coreia do Sul), perdeu por 16-28 e no evento seguinte caiu novamente (8-30).Em 1995, a diferença foi melhorada (19-30) e três anos mais tarde sucumbiu por 20-32, depois de uma primeira parte equilibrada (11-12).
De tanto sofrer com as alemãs, as angolanas acordaram finalmente em 1999 com empate (20-20), num desafio cujos 30 minutos iniciais acabaram em 10-10.
Nos quartos-de-final em 2007, as adversárias deste domingo impediram a chegada às meias-finais, com triunfo apertado (33-36), numa competição onde Angola fez a melhor classificação de sempre (7ª) e as europeias ficaram em terceiro.
A mesma diferença (25-22) foi evidenciada no Brasil2011 favorável para as rainhas de África, com Vivaldo Eduardo no comando da equipa. O mesmo treinador conhece o adversário e colocará uma equipa capaz de transformar o sonho em realidade e devolver a amargura de 2007, quando um erro de arbitragem inclinou o campo e afastou Angola das meias-finais.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.